Presidente do Twente renuncia em meio a escândalo de corrupção na Holanda

O presidente do Twente, Aldo van der Laan, teve a sua renúncia confirmada oficialmente pelo clube holandês nesta quarta-feira. O dirigente se viu obrigado a deixar o cargo após o vazamento de documentos que apontaram um acordo com investidores estrangeiros para transferências de jogadores.

Estadão Conteúdo

25 Novembro 2015 | 11h41

Van der Laan está saindo da presidência por causa de dúvidas relacionadas a um acordo com a empresa Doyen Sports Investments, baseada em Malta, que estava afetando o Twente. O clube informou, por meio de um comunicado, que a Federação Holandesa de Futebol (KNVB, na sigla em holandês) está investigando o caso.

O site Football Leaks publicou nesta semana um contrato entre a Twente e a Doyen. O acordo foi assinado em 2014, antes de a Fifa proibir a prática conhecida como propriedade de terceiros no mundo do futebol. De acordo com o documento vazado na imprensa, a Doyen concordou em pagar 5 milhões de euros de comissão para deter de 10% a 50% dos direitos de transferência de sete jogadores.

A Fifa proibiu recentemente o direito de terceiros como uma forma de proteger a integridade do futebol, tendo em vista o fato de que investidores poderiam forçar a transferência de jogadores para obterem lucros em possíveis negociações.

No comunicado na qual explicou os motivos para a renúncia de Van der Laan, o Twente destacou que "os interesses do clubes sempre foram primordiais e agora estão sob suspeita". "As dúvidas persistentes estão prejudicando o Twente", enfatizou.

Os documentos revelados pelo site Football Leaks apontam que o clube violou as normas da KNVB. Se o clube for considerado culpado neste caso, poderá receber punições que vão desde a perda de pontos no Campeonato Holandês até o rebaixamento ou até mesmo a perda da licença para atuar nas duas principais divisões do país.

Em crise financeira, o Twente precisou vender um grande número de jogadores na última janela de transferências para tentar cortar seus custos e pagar dívidas. Entre os atletas negociados esteve o atacante mexicano Jesus Corona, vendido ao Porto, de Portugal, por US$ 12,7 milhões.

Em campo, a fase do time também é muito ruim. Ocupa atualmente a 15ª posição do Campeonato Holandês, logo à frente da zona de rebaixamento, sendo que perdeu os seus quatro últimos jogos e na semana passada levou uma goleada de 5 a 0 do Feyenoord.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.