Presidente do Uruguai apoia Suárez e diz que ele não é racista

O presidente do Uruguai, José Mujica, expressou na quinta-feira sua solidariedade ao jogador de futebol uruguaio Luis Suárez, do Liverpool, da Inglaterra, que foi criticado por se recusar a cumprimentar o capitão do Manchester United depois de ter sido suspenso por lhe ter proferido insultos racistas.

REUTERS

16 de fevereiro de 2012 | 16h05

O atacante reintegrou-se à equipe no fim de semana após cumprir a suspensão de oito partidas e pagar uma multa de 62 mil dólares imposta pela Associação de Futebol da Inglaterra por haver chamado de "negro" o jogador Patrice Evra durante um encontro.

Suárez recusou-se a cumprimentar o adversário no sábado, o que reacendeu a polêmica e provocou críticas.

"Gostamos dele porque é um jovem, filho da pobreza, e está a léguas de ter recebido a formação acadêmica, o eventual protocolo quase diplomático", afirmou o mandatário José Mujica em seu programa "Habla el presidente".

"Ele não merece a pressão midiática a que foi submetido porque sabemos claramente que não é racista, nunca foi e nunca será", acrescentou.

(Por Malena Castaldi)

Tudo o que sabemos sobre:
FUTURUGUAISUAREZ*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.