Divulgação
Divulgação

Presidente do Vitória confia no 'caráter' dos paranaenses

Dirigente não teme que o Atlético-PR escale um time reserva contra o Palmeiras por causa de uma briga judicial envolvendo os clubes

Diego Salgado, O Estado de S. Paulo

03 de dezembro de 2014 | 07h00

O Vitória, principal adversário do Palmeiras na luta contra o rebaixamento, terá de derrotar o Santos no próximo domingo, além de torcer para o Atlético-PR empatar com o Palmeiras em São Paulo. Segundo o presidente do clube baiano, Carlos Falcão, vencer em casa é a única preocupação na última rodada do Brasileirão. O dirigente não teme que o Atlético-PR escale um time reservas por causa de uma briga judicial envolvendo os clubes.

"Confiamos no caráter dos jogadores e da comissão técnica. Essa é uma decisão do Atlético-PR. Se acontecer alguma coisa, será analisado pela comissão. Estamos tranquilos. O Vitória não faz parte disso", disse o mandatário ao Estado.

O imbróglio entre os clubes se arrasta desde o fim do ano passado. Na ocasião, o Atlético-PR pagou R$ 1,5 milhão pelos direitos federativos e 50% dos direitos econômicos do lateral-direito Léo, que defendeu o clube paranaense no Campeonato Brasileiro de 2013, quando estava emprestado pelo Vitória, com contrato até dia 31 de dezembro. No começo de janeiro, o Flamengo cobriu a proposta e desembolsou R$ 2 milhões para contar com o atleta em 2014.


De acordo com o Vitória, o fato foi comunicado ao Atlético-PR imediatamente. O clube, por sua vez, não igualou o valor da proposta e optou por desistir do negócio. O jogador, então, acertou com o Flamengo. As negociações para que o dinheiro fosse devolvido começaram na mesma época. O Vitória, então, negou-se a devolver o valor e o Atlético-PR acionou a Justiça, em março, cobrando R$ 1,9 milhão - valor corrigido.

Segundo Falcão, o Vitória cobra R$ 2 milhões de multa, por atraso na liberação do atleta, além de 10% do valor do negócio - usado na contratação de advogados. Em agosto, a Justiça extinguiu a ação de execução do Atlético-PR e determinou que o clube pagasse uma multa de R$ 150 mil.

Outro impasse envolvem os dois times. Os paranaenses também cobram R$ 405 mil do Vitória - valor da última das 10 parcelas pelos direitos econômicos do atacante Dinei, que defende o time baiano desde 2012. Procurado pela reportagem, o Atlético-PR não quis se pronunciar sobre o assunto.

DISPUTA

O Palmeiras soma 39 pontos no Campeonato Brasileiro e depende de uma vitória simples para evitar a queda para a Série B. O Vitória, com 38, e Bahia, com 37, ainda têm chances de escapar do descenso - o tricolor baiano enfrentará o Coritiba fora de casa. Criciúma e Botafogo já estão rebaixados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.