Thiago Toledo/Pontepress
Thiago Toledo/Pontepress

Presidente e diretor de futebol da Ponte Preta cobram o elenco

José Armando Abdalla e Ronaldão estiveram no centro de treinamento do Jardim Eulina nesta sexta-feira

Estadão Conteúdo

02 Março 2018 | 19h46

O momento delicado que a Ponte Preta passa no Campeonato Paulista aumentou a pressão da torcida em cima dos jogadores e da comissão técnica. Por isso, nesta sexta-feira, o presidente José Armando Abdalla e o diretor de futebol Ronaldão de Jesus estiveram no centro de treinamento do Jardim Eulina para passar confiança ao elenco e ao técnico Eduardo Baptista.

+ Ponte Preta espera por meia da Chapecoense e promete reformular o elenco

"A tranquilidade foi passada, com a cobrança em cima do elenco, da comissão técnica e também da própria diretoria. Sabemos do momento delicado, de reformulação e cobranças, e isso já foi posicionado a todos. Esperamos que o resultado venha dentro de campo agora", disse Ronaldão, ex-zagueiro do são Paulo, da própria Ponte e da seleção brasileira.

O presidente Abdalla garantiu que os salários dos jogadores estão em dia e que já conseguiu diminuir para R$ 4 milhões o débito herdado do ano passado - era de R$ 10 milhões. "Tudo segue dentro do nosso planejamento", assegurou o dirigente.

A expectativa é que a resposta do elenco venha na próxima segunda-feira, quando a Ponte Preta recebe o Bragantino, às 20 horas, no estádio Moisés Lucarelli, pela décima rodada. Sem vencer há cinco jogos no Estadual - quatro empates e uma derrota -, o time campineiro é o terceiro colocado do Grupo B, com dez pontos, dois a mais que o Santo André, primeiro da zona de rebaixamento.

O técnico Eduardo Baptista tem problemas para essa importante partida porque cinco titulares são desfalques certos: o zagueiro Luan Peres e o volante João Vitor estão suspensos; o meia Tiago Real e os atacantes Felippe Cardoso e Felipe Saraiva foram vetados pelo departamento médico.

Mais conteúdo sobre:
Ponte Preta Campeonato Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.