Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Presidente explica saída de dirigente do Santos e se contradiz sobre Nenê

Conturbada semana política no clube fez com que José Carlos Peres se manifestasse nesta sexta-feira

Estadão Conteúdo

23 de fevereiro de 2018 | 18h02

A conturbada semana política do Santos fez com que o presidente José Carlos Peres se manifestasse nesta sexta-feira. Em entrevista coletiva, ele tentou minimizar as acusações de Gustavo Vieira de Oliveira, demitido do cargo de executivo de futebol, e garantiu que as reclamações do ex-dirigente foram fruto de um momento de transição da diretoria alvinegra.

Apresentado e inscrito pelo Santos, Dodô evita prever quando poderá estrear

"O Gustavo foi contratado por mim na maior confiança. Ainda tenho esta confiança, acho que é um profissional capaz. Mas talvez tenha vindo em um momento em que fazemos um choque de gestão. Estamos na casa de R$ 2 milhões de economia por mês, fazendo uma reorganização do clube", comentou.

Foi justamente a questão financeira uma das reclamações de Gustavo após deixar o clube. Segundo o ex-dirigente, o Santos ainda não tinha um orçamento definido para este ano. Ele ainda foi além, e criticou a postura de José Carlos Peres publicamente e a disputa de poder entre os cartolas.

"Estamos trabalhando com o Santos de forma ética, transparente. Acabaram os rolos, não teremos mais nada de ruim. Ele teve dificuldade, veio de outra escola, que é o São Paulo. Aqui, a verba é reduzida, pretendemos encaminhar o clube para dívida zero. Não vamos fugir da nossa política, que é pagar dívidas e ter um time forte. Nem tudo que queremos vamos ter, mas estamos vivendo momento de austeridade. E isso acabou provocando insatisfação no profissional", afirmou Peres.

O presidente avaliou que a rapidez na demissão de Gustavo contradiz o ex-dirigente sobre a postura da diretoria. "Não houve outra saída que não o desligamento. O clube tem comando. Não terceirizo comando. A melhor resposta é que a rescisão foi rápida. Mas é assunto encerrado, a vida segue. Vamos pensar para frente e estamos estudando um substituto com perfil do clube, sabendo que aqui há regras que precisam ser obedecidas."

Peres só se complicou ao falar sobre o suposto interesse do Santos em Nenê, ex-Vasco, que acabou indo para o São Paulo. Uma nota oficial divulgada pelo clube na última quinta afirmou que Gustavo teria vetado a contratação do jogador após interesse manifestado pelo presidente, que, nesta sexta, desmentiu.

"Não sei quem inventou isso. Nunca pedi o Nenê para ele, o jogador nunca esteve nas nossas pretensões. Nunca. O único dia em que a gente pensou no Nenê foi o que ele assinou com o São Paulo. Ficamos sabendo e o assunto foi abortado. Não sei porque surgiu isso nas matérias", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.