Presidente garante Botafogo disputando título brasileiro

Para a torcida do Botafogo, a eliminação precoce na Copa do Brasil e no Campeonato Carioca comprovou o mau momento vivido pelo clube. Como é de praxe, não apenas os jogadores, mas também a diretoria tem sido questionada por conta desses fracassos. Nesta sexta-feira, para tentar amenizar os protestos, o presidente Mauricio Assumpção concedeu entrevista coletiva e exaltou os méritos de seu mandato.

AE, Agência Estado

22 de abril de 2011 | 16h29

Também como de praxe, jogou parte da responsabilidade na diretoria anterior: "Quando assumimos o Botafogo, tínhamos três jogadores no profissional, cinco de juniores, quatro meses de salários atrasados e jogadores querendo ir embora", revelou. Assumpção também reclamou da situação financeira do clube ao assumir.

"Quando entramos, o departamento jurídico dizia que o balanço não apresentava atualização, trazia o valor da dívida na origem e não com suas correções. É mentira que o presidente aumentou as dívidas em R$ 66 milhões", afirmou o dirigente, sem revelar qual porcentagem desse aumento do endividamento é proveniente dessa correção no valor da dívida.

No que tange a resultados no futebol, Assumpção prometeu time para brigar pelo Brasileirão: "O início de 2011 é claro que não é o que gostaríamos. Mas essa diretoria vai montar um time para disputar o título brasileiro. Não tenham dúvida".

Ele ainda destacou que o clube tem parte sobre alguns dos jogadores que atuam no Botafogo. Algo que seria natural em outras equipes, mas que é motivo de comemoração para Assumpção. "Hoje o Botafogo tem participação econômica em jogadores, diferente do que acontecia até então. Herrera, Loco, Antônio, Jefferson, Willian, Alex, Caio... Além dos jogadores que estão subindo da base. São R$ 12 milhões de passivos referentes a esta questão".

Assumpção lembrou o trabalho que tem feito na parte social do clube, situações, que, segundo ele, "se o Botafogo não fizer, daqui a 20 anos, não tem mais time, não tem ídolos e não tem torcida, como muitos me dizem". Entre as obras, o presidente alvinegro destacou a revitalização da sede do Mourisco, com a construção de uma "grande churrascaria" e 10 mil metros quadrados de reformas na sede do clube em General Severiano.

"É claro que a torcida quer saber de time, eu também. Mas achar que essa diretoria não fez nada e que tudo é para se jogar fora, tem uma distância muito grande", garantiu Assumpção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.