Presidente Morales quer estatizar o futebol boliviano

O presidente da Bolívia, Evo Morales, propõs estatizar o futebol de seu país diante dos maus resultados da seleção nas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2010.

REUTERS

11 de setembro de 2009 | 16h56

A Bolívia perdeu suas duas últimas partidas na eliminatória e segue no penúltimo lugar da classificação, com apenas duas vitórias em 16 jogos disputados. Além disso, tem a maior quantidade de gols sofridos: 32.

"O futebol tem caráter autônomo, mas é preciso estatizá-lo para ter uma representação digna", disse Morales, citado pela mídia local.

"Lamentamos o desempenho de nossa seleção nas eliminatórias. Até agora (o futebol) é uma entidade privada, autônoma, dirigida por personalidades do esporte, mas não traz resultados", acrescentou.

Entretanto, a Fifa proíbe que os governos interfiram nas federações nacionais, ato que pune com a suspensão imediata de qualquer competição internacional.

Desde sua chegada ao poder em 2006, Morales estatizou empresas de setor de hidrocarbonetos, telecomunicações e minerção.

(Reportagem de Diego Oré)

Tudo o que sabemos sobre:
FUTMORALESESTATIZACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.