Paulo Pinto/AE
Paulo Pinto/AE

Presidente palmeirense garante sucesso de Obina no clube

'A responsabilidade pela contratação é minha. Se alguém não gostar, que reclame comigo', diz Belluzzo

Juliano Costa, Jornal da Tarde

26 de maio de 2009 | 22h41

A chegada de Obina ao Palmeiras rendeu polêmica. Muitos torcedores procuraram a diretoria para protestar contra a aquisição de um atacante que não faz gol há quase seis meses.

Veja também:

linkDiretores do Palmeiras já defendem Obina de críticas

link Vote: Obina terá sucesso no Palmeiras?

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Preocupado, o presidente Luiz Gonzaga Belluzzo cancelou compromissos e foi à Academia de Futebol - coisa rara numa terça-feira à tarde - para fazer a apresentação oficial de Obina e dizer: "A responsabilidade pela contratação é minha. Se alguém não gostar, que reclame comigo, e não com este rapaz de 26 anos que, acredito, tem tudo para se dar bem aqui no clube."

Obina se mostrou embaraçado diante de tantas perguntas sobre sua má fase e a pressão que o espera no Palestra. Suando muito, pediu água e uma toalha ao assessor de imprensa durante a coletiva. Esforçou-se para mostrar otimismo. "Só penso positivo. É vida nova para mim."

Ele afirmou não estar preocupado com o jejum de seis meses sem balançar a rede. Citou Washington e Kléber Pereira como exemplos. "São dois grandes goleadores, mas que também andam sendo cobrados."

Obina assinou contrato até dezembro. Vai ganhar pouco mais de R$ 70 mil por mês. O Palmeiras não precisou pagar pelo empréstimo, mas terá de desembolsar R$ 1 milhão se quiser escalá-lo contra o Flamengo no Brasileirão. "É uma cláusula que há muito não se via no futebol, mas um sinal de que o Flamengo está preocupado com a possibilidade de Obina desencantar justo contra eles", brincou Belluzzo.

O atacante fez ontem mesmo seu primeiro treino coletivo. Garantiu estar em forma, mas Vanderlei Luxemburgo e o preparador físico Antonio Mello disseram que ele precisa perder peso. "Se acham isso, vou dar meu máximo para estar do jeito que eles querem", comentou Obina.

Ele foi inscrito com a camisa 24 na Libertadores e disse que espera ser relacionado já para o jogo de amanhã contra o Nacional, no Palestra. Sobre a comparação com o camaronês Eto’o, criada pela torcida do Fla como homenagem, mas que depois ganhou tom satírico, Obina disse que "isso me trouxe mais coisas boas do que ruins e agora quero ganhar a torcida do Palmeiras."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.