Emilio Naranjo/EFE
Emilio Naranjo/EFE

Presidente quer ter Zidane como o 'Guardiola do Real'

Rafa Benítez pode até cair em caso de derrota para o Barcelona

O Estado de S. Paulo

19 de novembro de 2015 | 11h27

Na imprensa madrilenha, cogita-se que, em caso de derrota do Real Madrid para o Barcelona no clássico deste sábado, a partida pode ser a última de Rafa Benítez como técnico do clube merengue. Nesta primeira metade da temporada, o futebol do time não agradou ao presidente Florentino Pérez, porém, a equipe se manteve por um bom tempo na liderança do Campeonato Espanhol. Agora, o Real está em segundo lugar.

O técnico também não mostrou o 'pulso firme' no vestiário que se esperava dele após a saída de Carlo Ancelotti e já teve pequenos problemas com James Rodríguez e Cristiano Ronaldo. Com isso, o nome preferido de Florentino Pérez para assumir o comando da equipe em caso de demissão seria Zinedine Zidane, ex-jogador do clube e da seleção francesa que atualmente é auxiliar técnico e já teve experiências no comando de times de base e do Castilla, 'time B' do Real.

Segundo o jornal Mundo Deportivo, Zidane já teria dado o 'ok' para assumir a equipe futuramente, mas com uma condição: desde que não seja no meio de uma temporada e com a equipe em turbulência, como pode acontecer em caso de derrota para o Barcelona neste sábado. Ele gostaria de iniciar um trabalho desde o início, com direito a pré-temporada com os jogadores. Florentino pensa no ex-jogador francês como o futuro 'Guardiola do Real Madrid', em referência ao ex-técnico do Barcelona que hoje comanda o Bayern de Munique.

Em caso de uma demissão prematura de Benítez, o presidente já teria uma carta na manga caso não consiga fazer Zidane mudar de ideia: o nome é Victor Fernández, atualmente chefe das categorias de base do clube. Ele é apontado como o grande candidato a fazer a 'ponte' entre Benítez e Zidane, ainda segundo o Mundo Deportivo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.