Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Presidentes pedem fim da violência, mas divergem quanto às organizadas

Enquanto Palmeiras corta relações com torcidas, Corinthians mantém "diálogo" com grupos de seguidores

Denise Bonfim, O Estado de S. Paulo

14 de fevereiro de 2014 | 14h01

SÃO PAULO - No evento que marcou o início da ação de

Sofrendo com casos de morte e extrema violência ao longo dos anos, a iniciativa de Corinthians e Palmeiras deve ser só o primeiro passo dos clubes para a pacificação dos clássicos e, consequentemente, do futebol brasileiro. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.