Preso suspeito de cumplicidade no atentado a Cabañas

A Polícia Federal Mexicana prendeu nesta quarta-feira um narcotraficante mexicano, suspeito de cumplicidade no atentado contra o jogador paraguaio Salvador Cabañas, ocorrido em janeiro, no qual o atleta foi baleado na cabeça, após uma discussão em um bar na Cidade do México.

AE-AP, Agência Estado

23 de junho de 2010 | 11h54

Responsável pelo esquadrão antidrogas da Polícia Federal Mexicana, Ramón Pequeño, informou nesta quarta-feira que o narcotraficante detido, identificado como Francisco José Barreto García, é suspeito de ter sido cúmplice de José Jorge Balderas, acusado de ser o autor do ataque contra Cabañas, no dia 25 de janeiro.

Tanto García quanto Balderas estariam vinculados a Edgar Valdez Villarreal, conhecido como "La Barbie", um dos narcotraficantes que lutam pelo controle do cartel dos irmãos Beltrám Levya. Porém, até o momento não há provas de que o ataque estaria vinculado ao tráfico de drogas.

De acordo com Francisco José Barreto García, a briga começou quando Balderas abordou de maneira agressiva Cabañas para reclamar da falta de gols do atacante, seguindo, momentos mais tarde, o paraguaio até o banheiro.

"Barreto García relata que, uma vez que estava no interior do banheiro, observou José Jorge puxando Cabañas pelo pescoço com uma mão e com a outra empunha uma arma de fogo em sua frente, enquanto o ameaçava", explicou Ramón Pequeno.

Após o ocorrido, Cabañas passou a ser um desfalque de peso do Paraguai, que o tinha como nome certo na seleção que disputa a Copa do Mundo na África do Sul. Após ficar um longo tempo em coma, o jogador se recuperou de forma surpreendente e deixou o hospital em que estava internado, mas a continuidade da carreira de Cabañas como jogador profissional se tornou uma incógnita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.