Presos dois por atirarem bomba que mutilou torcedor em SC

Incidente que decepou mão de Ivo da Costa faz FCF proibir torcida visitante no Catarinense

Redação

26 de fevereiro de 2008 | 22h52

Torcida única nos jogos em Santa Catarina. Após um torcedor ter sido atingido por uma bomba caseira, no jogo entre Criciúma e Avaí, no domingo, uma reunião foi realizada nesta terça-feira, em Balneário Camboriú, e a principal medida foi proibir a presença de torcedores do time visitante nos jogos do Campeonato Catarinense, anunciou a Federação Catarinense de Futebol (FCF). Ivo Costa, de 62 anos, torcedor do Criciúma, foi atingido por uma bomba e teve a mão direita amputada. Além disso, fãs dos dois times entraram em confronto depois do jogo. Nesta terça, participaram da reunião dirigentes da FCF, representantes dos órgãos de segurança pública, dos clubes e das torcidas. A FCF anunciou também que exigirá uma lista completa com a identificação de todos os torcedores das uniformizadas. A polícia local prendeu ontem dois suspeitos de terem arremessado a bomba caseira. Um deles é o soldado Juliano Marinho de França, que nega o envolvimento no caso. De acordo com a polícia, ambos moram em Florianópolis e estariam no meio da torcida do Avaí na hora do ocorrido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.