Werther Santana / Estadão
Werther Santana / Estadão

Pressão sobre Diniz aumenta no São Paulo, mas Leco garante o treinador para 2020

Técnico é bastante criticado após empate com o Ceará e torcida pede sua demissão

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2019 | 04h34

A torcida do São Paulo perdeu a paciência com o técnico Fernando Diniz. Após o empate por 1 a 1 com o Ceará, torcedores se revoltaram nas redes sociais e pediram a demissão do treinador. Entretanto, o presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, não cogita mudança na comissão técnica.  

Nas reuniões do Conselho do clube e diante de torcedores que o cobram diariamente,  o dirigente é enfático ao garantir estar satisfeito com o trabalho do treinador. Na visão de Leco, o problema maior é a postura de alguns jogadores. Por isso, é provável que o elenco passe por transformações na próxima temporada. Em outras palavras, que alguns atletas deixem o clube. 

Na partida contra o Ceará, a revolta dos torcedores se deu pelas alterações feitas na equipe. Diniz tirou Reinaldo, Liziero e Antony e colocou Leo, Hudson e Raniel, respectivamente. O gol do Ceará saiu de um chute do meia Felipe, que desviou em Leo e enganou o goleiro Volpi. O Ceará melhorou justamente quando as alterações começaram a ser feitas. Diniz garante que as mudanças foram realizadas por questões físicas. "Liziero pediu pra sair. Antony estava cansado aqui do meu lado. E o Reinaldo pediu para sair também. As mudanças foram por isso."

O São Paulo volta a campo na próxima quinta-feira para enfrentar o Vasco, no Morumbi. A expectativa fica para a forma com que a torcida irá receber o treinador e a equipe. Embora tenha só empatado com o Ceará, o time tricolor se encontra na sexta colocação, com 54 pontos, dentro da zona de classificação para a Copa Libertadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.