Pressão sobre Gallo está cada vez maior

Os jogadores do Santos deixaram o campo sob protestos dos torcedores, que pediram reforços e a troca de técnico. Gallo já perdeu o pouco da credibilidade que tinha com a torcida. Para complicar a situação, o próximo adversário será o embalado Corinthians, domingo, na Vila Belmiro. Não será surpresa se Gallo for demitido antes mesmo do clássico. Estevam Soares é um dos candidatos ao cargo. "A torcida tem toda razão de cobrar. Estamos tentando fazer o melhor. Estão chegando jogadores e ainda não conseguimos o entrosamento ideal, é preciso ter um pouco de paciência", disse o zagueiro Ávalos. Nesta quarta-feira, o atacante Frontini, que havia sido apresentado na terça, estreou no time com apenas um treino. Domingo, pode ser a vez do meia Léo Lima, contratado do Porto, entrar na equipe para ajudar Giovanni e Ricardinho. Outra estréia possível é a de um novo treinador. Gallo chegou à terceira derrota consecutiva e não cativa mais os dirigentes. A pressão pela sua saída aumentou muito depois do jogo contra a Ponte Preta. Pesa a favor de Gallo a falta de bons treinadores no mercado. Estevam Soares, que deixou o São Caetano há uma semana, é uma das poucas opções que restam. O treinador também estava na mira da Ponte Preta, que perdeu Vadão para o futebol japonês. Contra o Santos, o time foi comandado pelo interino Nenê Santana, que tem boas chances de permanecer no cargo. Nesta quinta, os dirigentes santistas devem tomar uma posição: ou sustentam Gallo pelo menos até o clássico contra o Corinthians ou anunciam logo a demissão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.