Daniel Hott/América-MG
Daniel Hott/América-MG

Pressionado, América-MG faz confronto direto com a Chapecoense fora de casa

Equipe de Adilson Batista está na 16ª posição e é o primeiro time fora da degola; diferença entre os times é de apenas três pontos

Estadão Conteúdo

27 Outubro 2018 | 07h14

O cerco apertou pra cima do América-MG. Se no início de trabalho o técnico Adilson Batista esteve entre os melhores aproveitamentos, aos poucos a produção foi caindo e hoje o clube briga para se manter na primeira divisão do Campeonato Brasileiro. Já são sete jogos sem vencer, com cinco empates e duas derrotas, aumentando a instabilidade. Neste sábado, às 19 horas, tem confronto direto com a Chapecoense na Arena Condá, em Chapecó.

Com 34 pontos, o América-MG precisa vencer ou pode terminar a rodada até na zona de rebaixamento, dependendo de outros resultados. Do outro lado do confronto direto, a Chapecoense soma 31 pontos, mas está bem atrás no saldo de gols: menos 16 para os catarinenses, contra menos nove dos mineiros.

O técnico Adilson Batista mantém a confiança no elenco, lembrando que "a gente vinha produzindo bem, o que só não aconteceu no segundo tempo contra o Atlético-PR" - na derrota por 4 a 0 na última rodada. "Vamos ter um jogo difícil, mas estamos confiantes, sabendo das dificuldades e concentrados para fazer o jogo que nos interessa", afirma.

A única boa notícia para o técnico foi o retorno do lateral-direito Norberto, que finalmente se recuperou de um edema no joelho e treinou normalmente com o grupo. Como ainda está sem ritmo de jogo, ele deve ficar no banco de reservas.

Em São Paulo, o América-MG treinou no CT Joaquim Grava, do Corinthians, antes de embarcar para Santa Catarina. Adilson Batista fez muito mistério sobre o time titular e fechou o trabalho tático, mas não deve promover muitas mudanças no time titular. Robinho pode tomar a vaga de Matheusinho no ataque, ao lado de Luan e Giovanni.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.