Vitor Silva / SS Press / Botafogo
Vitor Silva / SS Press / Botafogo

Pressionado, Botafogo tenta avançar na Copa do Brasil contra o Juventude

Confronto é oportunidade para amenizar a instabilidade financeira do clube carioca, que atrasou salários recentemente

Redação, Estadão Conteúdo

11 de abril de 2019 | 08h45

Com peso histórico e um contexto que envolve atraso salarial e pressão sobre o técnico Zé Ricardo, o duelo desta quinta-feira, contra o Juventude, vale muito para o Botafogo. De olho na premiação para melhorar sua saúde financeira, o time carioca tenta passar para a quarta fase da Copa do Brasil, em jogo marcado para as 19h15, no estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, pela rodada de volta da terceira etapa.

O primeiro jogo, realizado no Engenhão, terminou empatado por 1 a 1, resultado que deixou boa parte da torcida incomodada, tanto que houve cobranças de alguns torcedores para que Zé Ricardo fosse demitido. O cenário para o Botafogo avançar, no entanto, não é dos mais difíceis, uma vez que basta uma vitória para que isso aconteça. Qualquer empate leva a decisão aos pênaltis.

O Botafogo não guarda boas lembranças da última e única vez na qual disputou uma partida da Copa do Brasil no Alfredo Jaconi. Há 20 anos, em 1999, o estádio foi palco de uma derrota por 2 a 1 para o Juventude, no jogo de ida da grande final do torneio nacional. Na volta, diante de um público de 101.581 pessoas no Maracanã, a partida não saiu do zero a zero e o time gaúcho sagrou-se campeão.

De qualquer maneira, muito mais do que algum tipo de vingança histórica, o confronto representa a possibilidade de amenizar a instabilidade financeira que vem afetando diretamente o elenco botafoguense. Depois de se recusarem a concentrar na véspera do jogo de ida, na semana passada, os jogadores receberam na última terça-feira o pagamento dos salários de fevereiro, mas ainda aguardam direitos de imagem e os vencimentos de março. A vaga na quarta fase vale uma premiação de R$ 1,9 milhão.

Diante de todo esse ambiente desfavorável, a preparação do time carioca foi encerrada com um treinamento na tarde desta quarta-feira. Zé Ricardo não confirmou a escalação, mas é certo que não poderá contar com João Paulo, que foi expulso no Rio e terá de cumprir suspensão. Jean deve ficar com a vaga. Também existe uma dúvida entre começar com o Rodrigo Pimpão ou Luiz Fernando no setor ofensivo.

Do lado do Juventude, o técnico Marquinhos Santos também tem desfalque por suspensão, já que o atacante Paulo Sérgio foi outro que acabou expulso no duelo de ida. Breno deve ser o escolhido para ficar com a vaga. Outra mudança deve ser a estreia do volante João Paulo, contratado recentemente após defender o São Bento, no lugar de Rafael Jataí.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.