Pressionado, Chivas libera jogadores

Os quatro jogadores quedefenderão o Chivas de Guadalajara contra o Boca Juniors nestaterça-feira, pela Copa Libertadores da América, viajarão logo depois da partida para a Alemanha, onde vão disputar a Copa das Confederações, segundo informou a Federação Mexicana de Futebol no início da noite desta segunda-feira.A decisão é conseqüência da ameaça feita pelopresidente da Fifa, Joseph Blatter, que prometeu punir o Chivas e aseleção mexicana se os jogadores não disputassem a Copa dasConfederações. Eles estavam inscritos e haviam sido dispensados para defender o clube na Libertadores. Os atacantes Bravo e Medina, o meia Morales e o goleiro Coronahaviam sido liberados pela federação para a partida contra o BocaJuniors, mas o Chivas pretendia continuar com ao menos dois delespara a disputa da semifinal da Libertadores. Alberto de la Torre, presidente da federação mexicana, disse quefalou com o diretor da competição para avisá-lo que os jogadoreschegarão à Alemanha antes da partido contra o Japão, naquinta-feira. O diretor do Chivas, Ivar Sisniega, disse que para o clube "aseleção é mais importante" e que a participação dos jogadores naLibertadores "é um caso especial".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.