Bruno Haddad/Cruzeiro
Bruno Haddad/Cruzeiro

Pressionado, Cruzeiro se apega ao retrospecto recente contra o Santos para reagir

Comandados de Abel Braga venceram os últimos três confrontos que fizeram com o rival paulista como visitantes

Redação, Estadão Conteúdo

23 de novembro de 2019 | 14h54

Pressionado e ameaçado por parte da torcida depois da sequência de empates que impediu que se afastasse da zona de rebaixamento, o Cruzeiro se apega ao retrospecto recente diante do Santos para vencer o rival paulista neste sábado, às 21 horas, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Cruzeiro venceu o Santos nos últimos três encontros atuando como visitante. Obteve dois triunfos na Vila Belmiro, local do jogo deste sábado, e uma no Pacaembu. Nas três ocasiões, derrotou o adversário paulista por 1 a 0.

A invencibilidade de 11 jogos no torneio - não perde desde o dia 30 de setembro, quando levou 1 a 0 do Goiás, no Serra Dourada - também pode animar a equipe mineira na luta contra o descenso. O problema é que, nesse período, o time de Abel Braga venceu poucos jogos e empatou muito.

Foram três vitórias e oito empates, sendo quatro nos últimos quatro jogos, o que manteve o time mineiro perto da zona de rebaixamento - é o primeiro time fora do grupo dos quatro piores, com 36 pontos, apenas um a mais que o Fluminense, o 17º colocado - e provocou a ira de alguns torcedores.

Na última quinta-feira, eles picharam os muros da Toca da Raposa com frases como "Fora parasitas" e "Fora vermes". Na sexta, houve um novo protesto no CT, com faixas com frases direcionadas ao treinador Abel Braga e alguns jogadores específicos como Egídio, Fred, Thiago Neves, Robinho e Marquinhos Gabriel.

Apesar dos acontecimentos recentes, o volante Éderson crê a maioria dos torcedores está a favor dos jogadores. "A maioria está nos apoiando. Claro que não aceitam (os resultados ruins), mas entendem que a gente também não quer cair, que a nossa vontade é de permanecer e fazer o melhor, como teve as faixas positivas, as faixas negativas e as críticas são para alguns torcedores."

Em campo, Abel Braga não vai poder contar com o lateral-esquerdo Dodô, que não esteve presente no último treinamento em razão de um trauma no pé direito e ficou fora de lista de relacionados. Com isso, Egídio será o titular.

Há também uma dúvida no ataque. Sassá foi titular contra o Avaí porque Fred deixou a concentração por um problema de saúde do filho. Ambos estão à disposição e a tendência é de que o veterano retome a titularidade no comando do ataque cruzeirense.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.