Rubens Chiri/São Paulo FC
Rubens Chiri/São Paulo FC

Pressionado, Dorival Junior ainda tem votos de confiança dentro do São Paulo

Treinador tem boas chances de ser mantido no cargo até duelo contra a Ferroviária, domingo; pressão por demissão continua forte

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2018 | 14h31

Apesar da forte pressão da torcida e de conselheiros do São Paulo para que o presidente Carlos Augusto de Barros e Lima demita o técnico Dorival Junior, o treinador tem boas chances de continuar no cargo pelo menos até o próximo domingo, quando o time enfrenta a Ferroviária em casa pela 9ª rodada do Paulistão.

Torcedores recebem São Paulo com protesto e pedem Luxemburgo como técnico

O treinador se reuniu nesta quinta no CT da Barra Funda com membros da diretoria, como sempre acontece após os jogos do time, e foi cobrado pelos resultados ruins e exibições abaixo do esperado da equipe. A tendência é que o treinador seja reavaliado após o desempenho da equipe diante da Ferroviária. Mais um voto de confiança.

O clima piorou depois da derrota para o Ituano por 2 a 1 na quarta-feira. A torcida foi ao CT pedir a demissão do treinador e conselhereiros atuam nos bastidores do clube para tentar convencer Leco a fazer uma troca no comando técnico da equipe. Mas ainda há vozes importantes a favor de Dorival dentro do clube.

Diretores entendem os argumentos da comissão técnica para o desempenho do início de ano, como o tempo escasso para treinos e falta de entrosamento do elenco que passou por reformulação. Mas há necessidade urgente de bons resultados, e Dorival está avisado desta urgência.

Conselheiros que participarão de uma reunião do presidente Leco com sua base de apoiadores no clube, no fim desta tarde, como adiantou o Estado, tentarão balançar as decisões da diretoria até aqui. Ainda que Dorival tenha votos importantes de confiança dentro do clube, a pressão deve continuar até o próximo jogo.

Por parte de quem pede a demissão de Dorival Junior, estão argumentos como a falta de padrão do time em campo, apostas do treinador nas substituições durante as partidas e uma suspeita de que o relacionamento dele com os atletas esteja desgastado por conta dos resultados ruins. As chances já dadas ao treinador de continuar seu trabalho após fortes oscilações também podem pesar contra Dorival.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.