Lucas Merçon/Fluminense FC
Lucas Merçon/Fluminense FC

Pressionado, Fluminense confia em Fred para 'jogo do ano' na Libertadores

Resultado da partida pelas quartas de final pode influenciar no futuro do técnico Roger Machado

Ricardo Magatti, Estadão Conteúdo

12 de agosto de 2021 | 07h39

O Fluminense faz seu jogo mais importante do ano no momento e que pode mudar o cenário de 2021. Em meio a uma turbulência, talvez a pior da temporada, o time tricolor encara o Barcelona de Guayaquil nesta quinta-feira, às 21h30, no Maracanã, no duelo de ida das quartas de final da Libertadores da América.

A diretoria tentou viabilizar a presença de 4460 sócios convidados (cerca de 5% da capacidade do estádio), já vacinados com a segunda dose no Maracanã. Mas a prefeitura do Rio rejeitou o pedido devido ao aumento de casos de covid-19 na cidade e dos riscos trazidos pela nova variante Delta.

O jogo da volta Equador está marcado para o dia 19, no Monumental, em Guayaquil. O gol fora de casa é critério de desempate, daí a importância de o Fluminense não sofrer gols no Maracanã.

A partida em casa contra o competente rival equatoriano pode definir a permanência ou não de Roger Machado, dar confiança à equipe ou transformar a turbulência em crise.

Isso porque o Fluminense vem de três derrotas seguidas no Campeonato Brasileiro e classificações acompanhadas de críticas contra adversários tecnicamente mais fracos na Libertadores e Copa do Brasil. Além de uma evidente queda de rendimento do time, que já foi capaz de ganhar do River Plate na Argentina, mas tem oscilado muito neste momento.

Roger Machado nunca foi unanimidade entre a torcida tricolor, mas sempre teve respaldo interno com alguns bons resultados e atuações. No entanto, agora convive com a pior pressão desde que assumiu o cargo e sabe que uma eliminação na Libertadores pode provocar a sua demissão. Ele tem 57,2% de aproveitamento no clube depois de 19 vitórias, 10 empates e 10 derrotas.

Sem contratações para as quartas da Libertadores - o colombiano Arias está em negociação - o técnico terá como grande reforço o retorno de Nino, que foi titular da seleção brasileira na campanha do ouro na Olimpíada de Tóquio. Ele formará a zaga ao lado de Luccas Claro, o que deixa a retaguarda mais segura, na teoria. Manoel cometeu falhas seguidas e vem sendo alvo de críticas.

Nino se reapresentou junto do elenco e participou de toda a preparação para o confronto. Caio Paulista se machucou no duelo contra o Palmeiras, no fim de agosto, e ainda não se recuperou da lesão na coxa direita, considerada de grau 3. É provável que Kayky continue no time. Não se sabe quem será o titular na outra ponta. Pode ser Lucca, Gabriel Teixeira ou Luiz Henrique.

Certo é que Fred, referência do elenco, capitão e terceiro maior artilheiro brasileiro na história da Libertadores, será titular e prometeu "dar a vida" no "jogo mais difícil" do Fluminense na competição. "Tenho certeza que faremos um grande jogo nesta quinta, vamos para dentro dos caras, vamos dar a nossa vida. No que depender da gente, vamos sair vitoriosos e com uma vantagem boa", disse o confiante Fred.

"É o sonho da minha vida. Quando voltei, tinha sonho de voltar para ganhar a Libertadores, e era tudo tão distante. Mas vi o nosso time se dedicando tanto, passando por cima de tanta coisa, crescendo na hora certa, a galera se blindando, correndo... Hoje que a possibilidade é real, não vou deixar de acreditar nunca", completou.

O Barcelona de Guayaquil pode ser considerado a surpresa positiva desta edição da Libertadores. O time equatoriano fez uma das melhores campanhas na fase de grupos e avançou na liderança do Grupo B, que tinha Boca Juniors e o Santos, que acabou eliminado precocemente.

A equipe do Equador eliminou o Vélez Sarsfield nas oitavas e confia em sua força jogando em casa. Em que pese jogar sem torcida, o Barcelona venceu todos os quatro jogos que realizou no estádio Monumental. Além disso, vem de cinco vitórias seguidas entre Libertadores e o Campeonato Equatoriano e conta com jogadores rápido e talentosos, como o veterano meio-campista Damián Díaz, o maestro da equipe. O camisa 10 tem história no clube e pode decidir uma partida nas bolas paradas, nos arremates de fora da área ou num passe refinado.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE X BARCELONA DE GUAYAQUIL

FLUMINENSE - Marcos Felipe; Samuel Xavier, Nino, Luccas Claro e Egídio; Martinelli, Yago Felipe e Nenê; Kayky, Gabriel Teixeira (Lucca) e Fred. Técnico: Roger Machado.

BARCELONA DE GUAYAQUIL - Javier Burrai; Byron Castillo, Luis Fernando León, Williams Riveros, Mario Pineida; Bruno Piñatares, Nixon Molina, Emmanuel Martínez, Damián Díaz; Gonzalo Mastriani e Carlos Garcês. Técnico: Fabián Bustos.

ÁRBITRO - Alexis Herera (Venezuela)

HORÁRIO - 21h30

LOCAL - Maracanã, no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.