Pressionado, Geninho muda o Corinthians

O Corinthians enfrenta o Figueirense, nesta quinta-feira, às 20h30, no Pacaembu, em busca de um resultado que traga de volta a paz ao Parque São Jorge. Se o time não vencer, as chances de uma reação no segundo turno do Brasileiro ficarão comprometidas logo na primeira rodada. E a pressão sobre o técnico Geninho ficará insuportável.O jogo desta quinta-feira é considerado de alto risco. A equipe jogará desfalcada. Na defesa, Geninho terá só o lateral-direito Rogério da formação titular. No meio-de-campo, o principal desfalque é o volante Fabinho, punido pelo terceiro cartão amarelo. No ataque, Liedson promete jogar mesmo se a sua transferência para o Lyon, da França, for concretizada. "Jogo de qualquer jeito. Quero quebrar o jejum de gols. Essa situação está me incomodando", avisa ele.Dos jogadores que vieram para reforçar a equipe no returno, só Robert começa jogando. Mesmo assim, não deve suportar até o final. Como o meia ainda está fora de forma, Geninho deve utilizá-lo 45 minutos. Deve ser substituído por Jamelli, que também não está em forma, mas suportaria bem meio período. Quanto a André Luiz, estreará no jogo seguinte, contra o Atlético-MG, em Belo Horizonte.Geninho finge que não está ameaçado. O primeiro passo para fugir das críticas ele já deu: não repetirá o esquema de três zagueiros. O técnico resolveu mudar depois que a diretoria criticou o esquema."Não mudei por pressão de ninguém. Vou mudar porque insistir no erro é burrice. Vou mudar porque no Corinthians não há jogadores que se encaixam neste esquema", explica. Geninho só esqueceu o que disse na semana passada sobre o esquema: "O time está se dando bem jogando com três zagueiros".O treinador ainda esclareceu que o time não jogará exatamente num 4-4-2. "Na verdade, é um 4-3-1-2", revela. O número 1 de Geninho será Robert, que terá a missão de se aproximar dos dois atacantes. Mesmo sendo canhoto, Robert vai atuar mais pelo setor direito, compondo a ala com Rogério. Dessa forma, Geninho espera equilibrar o ataque pelos dois lados.Outra aposta é no menino Marcus Vinícius. Na opinião de Geninho, o zagueiro foi bem contra o Paraná e merece continuar na equipe. Por ser um jogador de boa velocidade e impulsão, pode equilibrar a zaga jogando ao lado do veterano César.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.