Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Pressionado, Santos busca a vitória sobre o Cruzeiro por mais tranquilidade

Torcida anda insatisfeita com desempenho da equipe e decisões tomadas pelo técnico Jair Ventura

Estadão Conteúdo

27 de maio de 2018 | 05h42

O clima no Santos não é nada bom. O time se classificou em primeiro do seu grupo para as oitavas de final da Copa Libertadores, mas o mau desempenho no empate sem gols com o Real Garcilaso, do Peru, na última quinta-feira, aumentou ainda mais as críticas e pressão sobre a equipe. Logo, a missão deste domingo é vencer o Cruzeiro, às 16 horas, no estádio do Pacaembu, em São Paulo, em jogo da sétima rodada do Campeonato Brasileiro, para amenizar a crise instalada na Baixada Santista.

+ Gerente do Santos tenta explicar instabilidade e diz que diretoria busca reforços

+ Dodô defende Jair e faz apelo aos santistas: "Precisamos de vocês"

+ Confira a tabela do Campeonato Brasileiro

O time santista vem de derrota no clássico para o São Paulo e soma seis pontos no torneio nacional, o que o deixa próximo da zona de rebaixamento. Uma derrota pode significar a entrada do time alvinegro na zona de descenso e amplificar ainda mais a pressão sobre o elenco e, especialmente, sobre o técnico Jair Ventura.

Muito criticado pela torcida, Jair Ventura deve ter reforços para escalar contra o Cruzeiro. O meia Léo Cittadini e o atacante Bruno Henrique participaram dos últimos dois treinamentos sem problemas e devem ir para o jogo.

Bruno Henrique passou um mês se recuperando de uma lesão de grau 2 no músculo adutor da coxa esquerda, sofrida no segundo tempo do jogo contra o Bahia, no final de abril. O atacante está liberado para atuar, mesmo caso de Léo Cittadini, que sofria com dores no tendão de Aquiles.

Caso Léo Cittadini e Bruno Henrique realmente retornem, o time santista mudará a sua forma de jogar. Pela ausência de um armador, a tendência é de que Jair Ventura escale quatro atacantes: Rodrygo, que jogaria mais recuado, Gabriel, Bruno Henrique e Eduardo Sasha.

O meio de campo, setor mais carente, tem problemas. O argentino Vecchio sentiu dores no joelho nos últimos treinos e é duvida, assim como o colombiano Copete, que sofreu um desconforto na região da bacia. Vitor Bueno é desfalque certo por até quatro semanas - sofreu entorse no tornozelo esquerdo no jogo contra o Real Garcilaso. Alison, Guilherme Nunes, Victor Ferraz e Arthur Gomes são os outros desfalques garantidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.