Pressionado, Santos joga contra o Fluminense no Rio

O Santos precisa da vitória contra o Fluminense, neste sábado, às 21 horas, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, para compensar a eliminação na Copa do Brasil e aumentar as suas possibilidades de pelo menos chegar entre os quatro primeiros do Campeonato Brasileiro para ter vaga na Copa Libertadores de 2014. Efetivado no cargo de treinador até o fim do ano, mas com salário de jogador da base (R$ 80 mil mensais), Claudinei Oliveira mantém o discurso otimista e usa a boa atuação da equipe na derrota contra o Grêmio, em Porto Alegre, para demonstrar confiança na segunda vitória consecutiva da equipe no Brasileirão.

SANCHES FILHO, Agência Estado

31 de agosto de 2013 | 09h34

"Não fomos eliminados jogando mal. Se estamos mal, sabemos que pode acontecer algo de ruim, mas jogamos bem, administramos bem o jogo", disse. Uma de suas preocupações é reanimar os jogadores que sentiram demais a queda no Sul. "Todos ficaram chateados, mas o grupo já mostrou força anteriormente. Pegou o Corinthians após o Barcelona, empatou e até merecia vencer. O grupo tem essa característica de superação, de força para reagir. E vamos precisar porque o Brasileiro é a única chance de chegarmos à Libertadores". Com dois jogos atrasados, contra Náutico e Internacional, o Santos é o 13º colocado com 19 pontos - quatro vitórias, sete empates e três derrotas.

Outro desafio de Claudinei Oliveira é lidar com a ausência de Montillo, o seu principal jogador e que assumiu a responsabilidade de comandar os garotos em campo, após a saída de Neymar para o Barcelona. "Quando Éverton Ribeiro não joga no Cruzeiro, faz muita falta, como também o Corinthians perde sem Danilo e o São Paulo sem o Jadson. Montillo era esse jogador para nós". Claudinei lembrou que na maioria dos últimos jogos do Santos, o meia foi considerado o melhor em campo. "É jogador de seleção argentina, tem liderança técnica, além de ser positivo, alegre e que brinca com todos. Montillo faz falta em campo e no convívio. Mas são os obstáculos e vamos dar moral para quem entrar no lugar dele", disse.

O resultado do exame que Montillo fez na tarde da última quinta mostrou edema no músculo posterior da coxa esquerda, mas será feito um novo para detalhar melhor o problema. Renato Abreu seria o substituto ideal, tanto pelo estilo de jogo como também por conhecer bem o adversário em razão de ter jogado muitos anos pelo Flamengo. Mas, no treino de dois toques desta sexta, no CT Rei Pelé, o meia-esquerda teve dificuldade tanto na parte física como também na técnica e nem viajou com o time.

Pedro Castro e Léo Cittadini, que são armadores, estão entre os candidatos a substituir Montillo, mas Claudinei Oliveira deve optar por Leandrinho por ser um jogador dinâmico, que tanto arma como aparece na frente para finalizar. Ao mesmo tempo em que ainda não definiu o novo meia, o treinador fez questão de antecipar que Gabriel, que fez 17 anos nesta sexta, continua no time apesar das chances de gol que desperdiçou contra o Grêmio.

"Enfrentar uma grande adversário no Maracanã pela primeira vez vai ser um presentão de aniversário para Gabriel. Ele merece e está brigando por seu espaço. É um menino tranquilo no trabalho, profissional exemplar, tem cumprido tudo da melhor maneira possível e espero que possa fazer os gols para nos ajudar", elogiou o treinador. Alison cumprirá suspensão pelo terceiro cartão amarelo e será substituído por Renê Júnior. Depois de dois jogos fora, Cicinho volta à lateral direita.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoSantos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.