Pressionado, Santos joga contra o São Bento sem quatro jogadores titulares

O Santos faz um jogo de recuperação contra o São Bento, neste domingo, às 18h30, na Vila Belmiro, pela 13.ª rodada do Campeonato Paulista. Para voltar a ter possibilidade de fechar a fase de classificação na liderança geral, o time vai precisar ganhar os três jogos restantes (um deles contra o Corinthians, no Itaquerão) e ainda torcer por tropeço do rival do Parque São Jorge.

SANCHES FILHO, Estadão Conteúdo

29 Março 2015 | 08h21

Antes da derrota diante da Ponte Preta, Marcelo Fernandes adiantou que pretendia poupar os titulares mais desgastados para não correr o risco de perder jogadores por lesões, mas mesmo se quisesse mudar de ideia não seria possível porque além de Robinho, que está na seleção brasileira, o treinador não poderá contar com o goleiro Vanderlei, que sofreu fratura em um osso da face e ficará afastado por mais de dois meses, e Cicinho e Valencia, que foram expulsos no jogo da última quinta-feira, em Campinas.

O problema mais sério é a perda de Vanderlei, que se adaptou rapidamente ao clube e precisou de poucos jogos para fazer com que o torcedor esquecesse Aranha (deixou o clube por atraso de salário e ao tomar conhecimento de que Enderson Moreira fazia questão da contratação de um goleiro para ser titular), que foi para o Palmeiras. O novo titular do gol santista é Vladimir.

Com a ausência de Cicinho, Victor Ferraz volta para a lateral direita e Zeca entra na esquerda. O substituto de Valencia será Lucas Otávio. Lucas Lima e Geuvânio, que estão "pendurados" com dois cartões amarelos seriam poupados para não correr o risco de suspensão diante do Corinthians, no domingo da próxima semana, mas devem jogar.

Depois de superar sem dificuldade as crises pela debandada de jogadores antes da estreia no Estadual e da demissão de Enderson Moreira no começo do mês, o Santos está diante de um novo desafio: o de se reerguer do tropeço em Campinas, que interrompeu a série de oito vitórias seguidas e a invencibilidade de 14 jogos, iniciada em novembro do ano passado.

"(A derrota) Vai servir de lição. O pessoal está unido e o Santos é grande nas vitórias e derrotas", minimizou Marcelo Fernandes, que assumiu interinamente o time antes do jogo contra o Botafogo, de Ribeirão Preto, e foi efetivado no dia seguinte à vitória diante do Palmeiras, na Vila Belmiro.

Mesmo que o Santos vença, o treinador terá o teste definitivo no clássico diante do Corinthians. Se o pior acontecer e o time optar pela contratação de um treinador experiente para as quartas de final do Paulistão, Marcelo Fernandes e seu auxiliar Serginho Chulapa não perdem o emprego porque retornarão à comissão técnica permanente do clube.

Mais conteúdo sobre:
futebol Paulistão Santos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.