Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC
Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

Pressionado, Santos receita 'tranquilidade' para sair da crise

Alvinegro terminou a oitava rodada do Brasileiro na zona de rebaixamento após derrota para o Atlético-PR

Estadão Conteúdo

01 Junho 2018 | 20h18

Apesar da campanha ruim do Santos neste início de Campeonato Brasileiro, Jair Ventura tenta não perder a calma à frente do time, que perdeu cinco vezes e ganhou apenas duas partidas até aqui. A equipe está em 18º lugar no torneio e neste momento mostra ser um precoce candidato a lutar contra o rebaixamento, embora tenha um jogo a menos em relação aos demais clubes.

+ Jair Ventura descarta pedir demissão no Santos: 'Aqui não tem covarde'

+ Bruno Henrique lamenta má fase do Santos: 'Situação que ninguém queria estar'

"Dar confiança para os meus atletas. É normal no futebol querer matar todo mundo quando as coisas não vão bem. Mas sabemos que quem pode dar a volta por cima é quem aqui está. Temos de ter atenção aos detalhes. Treinamos sempre na véspera. Precisamos ser mais frios no terço final. Passar tranquilidade", afirmou o treinador.

Pressionado pela torcida, que pichou a Vila Belmiro na madrugada desta sexta-feira, Jair Ventura acredita ter a receita para o time superar as adversidades. "Errar menos. Passar calma para os meninos, pressão para muitos que ainda não estão acostumados. Estão convivendo com cobranças. Natural para a vida do profissional, faz parte da maturação, que possam maturar rápido. A situação de hoje não vai ser a situação final do campeonato. Só nós vamos ser capazes de reverter isso".

A delegação do Santos desembarcou com segurança reforçada nesta sexta-feira, no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, mas não foi incomodada por protestos. Na quinta-feira, porém, torcedores tentaram invadir o hotel onde os jogadores e comissão técnica estavam hospedados em Curitiba.

O Santos volta a jogar neste domingo, na Vila Belmiro, contra o Vitória. Se vencer, o time paulista vai ultrapassar o adversário na classificação, mas dependeria de um empate do Bahia ou de uma derrota da Chapecoense para deixar a zona do rebaixamento. Se perderem, Atlético-PR e Botafogo também podem ser passados pelo Santos, que teria de tirar seis e quatro gols de saldo, respectivamente.

Mais conteúdo sobre:
futebol Jair Ventura Santos Futebol Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.