Preto acha que vai poder jogar domingo

Depois da cirurgia em seu ouvido esquerdo, o volante Preto Casagrande estava animado hoje com a possibilidade de poder jogar a partida decisiva do Brasileiro, domingo contra o Vasco da Gama. "Cheguei na clínica às 6 horas de terça-feira, fui muito bem atendido e tudo correu bem", disse ele, explicando que os médicos colocaram uma película protetora "para que o ouvido volte o mais rápido possível a fechar e para que não tenha problemas futuros". A contusão ocorreu durante um choque com um jogador do São Caetano, domingo passado. Seu quadro era bem diferente do de segunda-feira. "Eu estava bastante preocupado porque não estava escutando nada do lado esquerdo. Tinha muita dificuldade em ouvir as pessoas no telefone, mas desde a cirurgia já estou bem melhor e não acredito que terei problema daqui para a frente". Preto Casagrande comentou ainda que os médicos estavam preocupados com a viagem de avião até São José do Rio Preto. "Eles temiam essa viagem, mas o avião que vai nos levar não voa muito alto". Preto Casagrande comentou que o grupo está muito consciente do que será preciso fazer, "principalmente depois de tudo aquilo que aconteceu na semana passada, em que todo mundo já dava como certo que o Atlético seria o campeão". Para ele, não se ganha uma partida de futebol na véspera, mas sim dentro de campo. "Nós estamos com essa consciência e isso tem sido fundamental. Vamos entrar com muita seriedade nessa partida, concentrados para errar o mínimo possível e comemorar só depois de conseguirmos a vitória". O volante foi campeão quatro vezes da Liga do Nordeste, duas pelo Vitória e duas pelo Bahia. "Em 2001, quando jogava pelo Bahia, foi a decisão mais marcante: a Fonte Nova recebeu 80 mil torcedores, meu pai estava presente e fiz gol", comentou. Sobre a decisão de domingo, disse que "tem outra dimensão" e espera somar em sua carreira esse título que é o mais importante do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.