Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Primeira Liga considera nula assembleia da CBF para dar aval a torneio

Argumento é que clubes não foram convocados para a reunião

Almir Leite, O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2015 | 16h38

Os clubes filiados à Liga Sul-Minas-Rio estão tentando impedir a realização da assembleia geral que a CBF marcou para esta terça-feira, com o objetivo de dar ou não aval ao torneio pretendem realizar no primeiro semestre de 2016. Os 15 clubes enviaram notificação à entidade, em que comunicam que a reunião é nula. Assim, no entender deles, qualquer que seja a decisão, não terá validade.

A assembleia tem como objetivo apreciar a vinculação da Liga à CBF e aprovar o torneio ao calendário da entdade, que já foi divulgado. De acordo com o advogado Eduardo Carlezzo, que enviou à CBF a notificação, a nulidade se dá pelo fato de que apenas as 27 federações estaduais foram convocadas para o encontro.

Isso contraria, na avaliação de Carlezzo, a Lei Pelé em seus artigos 22, parágrafo segundo, 22-A, que foram modificados no último mês de agosto pelo Profut, a lei que possibilita o refinanciamento da dívida fiscal dos clubes. A partir de então, as assembleias da CBF têm de contar tambem com a presença dos clubes das séries A e B do Campeonato Brasileiro.

A CBF chegou a dar aval à Primeira Liga, nome oficial adotado pelos integrantes da Sul-Minas-Rio. Depois, pressionada por presidentes de federações, principalmente pelo da Federação do Rio de Janeiro, Rubens Lopes, voltou atrás e disse ser necessário, do ponto de vista legal, aprovação em assembleia.

Os membros da Primeira Liga reuniram-se na última sexta-feira, em Belo Horizonte, e decidiram continuar os preparativos para o torneio, independentemente da posição da CBF. AS federações gaúcha, mineira e catarinense são a favor da Liga; a paranaense estuda dar apoio.


Tudo o que sabemos sobre:
CBFCampeonato Brasileiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.