Reprodução
Reprodução

Novas camisas do Barça serão vendidas sem patrocinador

Clube negocia com novas marcas, mas não descarta começar e terminar temporada 2016/17 sem parceiros em seu uniforme

O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2016 | 10h59

As primeiras camisas que o Barcelona usará na próxima temporada serão comercializadas sem patrocínio master. Isso porque a fornecedora de material esportivo do clube, a americana Nike, chegou ao prazo para iniciar a fabricação do novo uniforme e a diretoria ainda não fechou com um novo investidor. O acordo atual com a Qatar Airways não será renovado. 

De acordo com o jornal catalão Sport, a medida, antecipada há um mês por Manel Arroyo, vice-presidente de Marketing e Comunicação, não é bem aceita pela cúpula do clube. Segundo o dirigente, eles seguem buscando um novo parceiro, mas não descartam começar e até terminar a temporada 2016/17 sem uma marca estampada na parte mais nobre do fardamento. 

A última vez que o time catalão atuou sem patrocinador foi há dez anos, na temporada 2005/06. Na ocasião, os culés conquistaram a segunda Liga dos Campeões da Europa, na final disputa em Paris contra o Arsenal. O gol do título foi marcado pelo lateral brasileiro Giuliano Belletti. 

Entre 2006/07 e 2009/10, o Barcelona pagou 1,5 milhão de euros (R$ 5,91 milhões) por temporada para ter o logo do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infânica) na parte frontal da camisa. No ano seguinte, o clube assinou o primeiro acordo de patrocínio de sua história, com a Qatar Foundation, que ficou no uniforme entre 2010/11 e 2012/13. De 2013/14 até a atual temporada, a Qatar Airways foi a empresa mostrada no peito do fardamento azul-grená.

Renovado até 2020, o clube mantém vínculo com a Unicef pagando 2 milhões de euros (R$ 7,88 milhões) por temporada à entidade, que tem o logo mostrado na parte traseira da camisa, abaixo do número dos jogadores. 

O periódico catalão informa que a fabricante dos uniformes barcelonistas acredita que a venda dessas peças sem patrocinador serão um sucesso de vendas. Para a Nike, a oportunidade de comprar uma camisa "limpa" é muito mais estimada entre os torcedores espanhóis do que outros públicos. Estima-se até que a peça se torne item de colecionador no futuro. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.