Marcos Borga/Reuters - 07/08/2003
Marcos Borga/Reuters - 07/08/2003

Primeiro técnico de Cristiano pedia para ele não prender a bola

Laszlo Boloni, que orientou o português no Sporting de Lisboa, elogia capacidade de adaptação e força mental do craque

Julien Pretot, REUTERS

13 de janeiro de 2015 | 17h48

O primeiro técnico de Cristiano Ronaldo no Sporting de Lisboa, Laszlo Boloni, pedia ao jogador que parasse de prender a bola para ficar exibindo sua qualidade técnica, embora nunca tenha tido nenhum problema ao treinar o jogador da seleção portuguesa, que agora tem três troféus de Melhor do Mundo.O romeno Boloni treinou o atacante do Real Madrid no Sporting entre 2001 e 2003.

"No começo, eu tinha que combater alguns exageros permanentes e corrigir algumas coisas", disse Boloni à revista France Football nesta terça-feira, após Cristiano Ronaldo conquistar a Bola de Ouro da Fifa na segunda-feira. Ele venceu o argentino Lionel Messi e o alemão Manuel Neuer.

"Ele não podia parar de exibir sua habilidade técnica e driblava demais", disse Boloni. "Mas impedi-lo de driblar seria loucura. A parte essencial do meu trabalho era encontrar e manter um equilíbrio."

Cristiano Ronaldo fez sua primeira partida oficial contra a Inter de Milão, em 2002,,num jogo pela Liga dos Campeões.

"Se ele estava pronto? Sim, não lhe faltavam nem a coragem nem a vontade", disse Boloni, que afirmou avaliar seu ex-comandado como um grande profissional."Ele nunca se atrasou, nunca houve um problema importante", disse.

Cristiano Ronaldo se transferiu para o Manchester United em 2003 e rapidamente se estabeleceu em Old Trafford."Eu achava que aos 18 anos ele precisaria de uma fase intermediária", disse Boloni."Mas eu estava errado... seis meses depois ele já falava inglês e jogou 30 partidas em sua primeira temporada. Quando confrontado com novas situações... Ronaldo sempre mostrou uma capacidade de adaptação impressionante e uma maturidade incrível", elogia Boloni. "Na cabeça dele, ele sempre foi muito forte", acrescentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.