Reprodução/ Clarín
Reprodução/ Clarín

Principais jornais do mundo repercutem morte de Diego Maradona: 'Está nas mãos de Deus'

Ídolo argentino morreu nesta quarta-feira, após sofrer uma parada cardiorrespiratória

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2020 | 18h16
Atualizado 26 de novembro de 2020 | 14h33

Os principais jornais do mundo repercutiram a morte do craque argentino Diego Armando Maradona. Aos 60 anos, Maradona sofreu uma parada cardiorrespiratória nesta quarta-feira. O ex-jogador se recuperava de uma cirurgia no cérebro, em sua casa, em Tigre, região metropolitana de Buenos Aires.

A morte de um dos maiores ídolos do esporte tomou conta dos portais dos grandes veículos de comunicação. O Clarín, da Argentina, disse que Maradona já é uma lenda.

O também argentino Olé, especializado em esportes, noticia o desejo de Maradona de colocar em seu túmulo a frase "Gracias a la pelota", um agradecimento àquela que o consagrou nos gramados, a bola.

Na Itália, onde Maradona fez grande sucesso, atuando pelo Napoli (sendo campeão italiano duas vezes, além de conquistar a Copa da Uefa), dedicou grande espaço para despedir-se do ídolo.

Corriere dello Sport escreve "O mundo está de luto pelo deus do futebol". Já a Gazzetta dello Sport altera a gradia de "addio", substituindo as duas últimas letras pelo número 10, que Maradona tanto usou ao longo de sua carreira.

Os espanhóis MarcaMundo Deportivo e El País também repercutiram a morte do ídolo argentino. O primeiro foi mais emocional, com a mensagem "Hasta siempre, Diego" (livremente traduzida como "até sempre, Diego"). Os outros dois optaram por manchetes mais objetivas, assim como o inglês The Guardian, que fez matérias especiais em referência ao argentino.

Foi diante da seleção inglesa, na Copa de 86, que Maradona eternizou seu gol conhecido como "La mano de Dios" (A mão de Deus"). Dois dos principais jornais do país reportaram seu falecimento na capa. Foi o caso do Sun Sport, que deu destaque a frase de Pelé, "um dia, eu espero que possamos jogar bola juntos no céu", e do Daily Mirror, que afirmou que agora "Maradona está nas mãos de Deus".

Le Monde, da França, repercute a decisão da Argentina de decretar três dias de luto pela morte de Maradona, enquanto o L'Équipe se refere ao craque como "deus e demônio".

"Agora está nas mãos de Deus" é a manchete do alemão Bild. Por fim, os portugueses A Bola e Record dizem que a magia de Maradona fica para a eternidade. "D10S não morre", estampou o Record em sua capa.

 

Tudo o que sabemos sobre:
futebolMaradonajornalismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.