Principais pontos da pesquisa da FGV

Em maio de 2000, a CBF e a Fifa contrataram a Fundação Getúlio Vargas (FGV), por R$ 800 mil, para um amplo estudo sobre o futebol no País. Eis os resultados do levantamento:1) PANORAMA CULTURAL * Existem cerca de 11 mil jogadores federados; * 800 clubes de futebol; * 2 mil jogadores atuando no exterior; * 13 mil times amadores participando de jogos organizados; * 30 milhões de praticantes; * 308 estádios; * 5 milhões de lugares para a prática do futebol; 2) PANORAMA ECONÔMICO * O futebol brasileiro movimenta R$ 16 bilhões por ano, a Fifa, US$ 250 bilhões; * Fabrica anualmente 3,3 milhões de chuteiras para futebol de campo; * Fabrica anulamente 5,6 milhões de pares para futsal e society; * Produz 6 milhões de bolas de couro; * Comercializa mais de 32 milhões de camisetas; * Gasta US$ 100 milhões com direitos de transmissão; 3) LEVANTAMENTOS SOBRE ENTIDADES ADMINISTRATIVAS * A CBF está mais interessada nas seleções nacionais e nos patrocinadores, em detrimento dos clubes e campeonatos; * A estrutura atual do Sistema CBF é cara e ineficiente; * Falta profissionalismo na gestão das federações estaduais; * O Clube dos Treze não representa o futebol brasileiro como um todo. 4) LEVANTAMENTOS SOBRE ESTRUTURA DO FUTEBOL * Falta definição clara dos papéis da CBF, das federações e do Clube dos 13; * Falta de profissionalismo em todos os segmentos; * Há má gestão das agremiações esportivas. 5) LEVANTAMENTOS SOBRE RECURSOS FINANCEIROS * A gestão financeira dos clubes é deficiente; inibindo possíveis investidores; * Falta de credibilidade nas competições, decorrente de fatores políticos (acesso e descenso, arbitragem, etc.); * Dificuldade de sobrevivência para os clubes pequenos e médios (curta temporada, etc.); * As agremiações esportivas estão muito centradas no atleta, como fonte de recursos, e no patrocinador. 6) LEVANTAMENTOS SOBRE RECURSOS HUMANOS E TECNOLÓGICOS * Falta de qualificação dos dirigentes, dos árbitros e das equipes técnicas; * Os estádios não apresentam infra-estrutura e serviços de apoio adequados; * Salários elevados para poucos e baixos para a grande maioria. 7) RECOMENDAÇÕES PARA NOVA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA CBF * Aumento da transparência da CBF (Comunicação financeira e institucional: relatórios anuais, balanços sociais, etc.); * Introdução de instrumentos de comprovação de compra e venda de jogadores por ambas as partes - comprador e vendedor; * Incentivo ao processo de modernização dos clubes e federações; * Modernização do processo de registro dos jogadores; * Incentivo ao futebol feminino e à prática do futebol amador; * Discussão e implantação do Código de Ética, válido para as relações CBF & Governo, CBF & Federações e CBF & Patrocinadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.