Problema cardíaco matou Foe, diz autópsia

Uma segunda autópsia - a primeira, nada revelou - apontou que a morte do camaronês Marc-Vivien Foe, ocorrida no último dia 26 de junho, foi de ?causas naturais?. Ele desmaiou em campo durante o jogo da seleção de seu país contra a Colômbia, em Lyon, pelas semifinais da Copa das Confederações. Segundo o resultado do exame divulgado nesta segunda-feira, o jogador tinha uma hipertrofia cardíaca, o que provocou sua morte.Em Paris, o procurador francês Xavier Richaud, que divulgou o resultado da autópsia, deixou claro que não foi encontrada nenhuma substância dopante no organismo de Foe. Também nesta segunda-feira foi realizado o velório de Foe na Catedral de Notre-Dame, em Yaounde, em Camarões. Mais de 3 mil pessoas estiveram no local, inclusive o presidente do país, Paul Biya, e o da Fifa, Joseph Blatter. Centenas de pessoas ainda acompanharam a missa do lado de fora da igreja, pelos alto-falantes instalados especialmente para a ocasião. Os jogadores da seleção camaronesa estavam vestidos todos de negro. O enterro acontece ainda hoje.No domingo, já havia acontecido um ato em homenagem a Foe. Foi no estádio de Yaounde, onde cerca de 50 mil pessoas fizeram um minuto de silêncio, enquanto o corpo do jogador era velado no centro do gramado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.