Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Problemas do País afetam Jamelli

Dirigir pela Marginal do Tietê em obras (certamente um dos mais horrorosos cenários urbanos), ter medo de parar em faróis ou sentir aperto incômodo no peito, que se transforma em angústia, a cada criança que bate no vidro do carro vendendo ou pedindo algo. Mas o que isso tem a ver com o noticiário do Corinthians? Muito. Os obstáculos encontrados pelo atacante Jamelli para jogar bem vão além do entrosamento com o grupo ou do aperfeiçoamento da condição física. Há um mês, o reforço corintiano desembarcava no Brasil vindo da Europa. Nesse período tem passado por uma fase comum àqueles que vivem por algum tempo em países onde a realidade social e econômica está anos-luz à frente da brasileira e que regressam ao País. Cenas do cotidiano, que para muitos já não despertam nenhum sentimento, dada a freqüência com a qual ocorrem, ainda o perturbam. ?Não que isso interfira no desempenho no campo. Mas a gente fica estranho ao se deparar com essa realidade triste depois de seis anos vivendo na Espanha?, afirmou. Jamelli defendia o Zaragoza, representante da cidade com mesmo nome. ?Rapaz, durante esse tempo que fiquei lá não soube de nenhum caso de assalto?, lembrou, nostálgico. ?Aqui eu fico preocupado com seqüestro a cada farol, com o desemprego de amigos. Lá, eu chegava na padaria e deixava o carro ligado por causa do ar-condicionado. Nunca tive problemas.? Contrastes à parte, o atacante disse acreditar que cada vez mais atletas vão passar por essa situação. ?O mercado na Europa está muito fechado. Tem um pessoal do Leste Europeu jogando por qualquer mixaria. Acho que estou puxando a corrente de jogadores que vão voltar mais cedo do que se imagina. Se aqui não temos tanto conforto e segurança, pelo menos estamos perto da família.? Treino ? O Corinthians enfrenta nesta quarta-feira o Vasco, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro. O atacante Liedson, suspenso, não joga. Gil, por sua vez, cumpriu suspensão no empate diante do Paysandu (2 a 2) e volta. O time é o nono colocado, com 37 pontos.

Agencia Estado,

18 de agosto de 2003 | 20h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.