Problemas fazem Luxemburgo minimizar peso de derrota

Sempre muito ambicioso quando questionado sobre os seus objetivos, Vanderlei Luxemburgo mostrou um discurso ponderado ao comentar a derrota por 2 a 1 sofrida pelo Grêmio diante do Coritiba, na noite do último sábado, no Estádio Couto Pereira. O treinador admitiu que o time poderia ao menos ter obtido um empate, mas encarou com naturalidade o revés, tendo em vista os problemas enfrentados pela equipe gaúcha durante o confronto.

AE, Agência Estado

29 de julho de 2012 | 08h50

O treinador lamentou o fato de que se viu obrigado a sacar Elano e Zé Roberto no intervalo, depois de o primeiro deles ter passado mal na noite anterior ao duelo e o segundo reclamado de um problema muscular no primeiro tempo. Para completar, o comandante apontou que André Lima não estava em condições físicas ideais, embora tenha sido o autor do gol gremista na etapa final.

"A derrota foi em função de que entramos com desfalques e com 30% dos jogadores debilitados. E o Zé Roberto teve um desconforto (muscular) a partir do trigésimo minuto do primeiro tempo. Preferi tirar o jogador para não correr o risco de perdê-lo por três ou quatro semanas", justificou Luxemburgo, para depois admitir certo conformismo com a derrota.

"O resultado, dentro das circunstâncias do jogo, poderia ter sido um empate, mas perder aqui não é nenhum absurdo em função da qualidade do adversário", completou o treinador, ao falar do duelo no qual o Coritiba só foi fazer o seu segundo gol aos 44 minutos do segundo tempo, quando o placar estava empatado por 1 a 1.

Com a derrota para o Coritiba, o Grêmio ficou estacionado nos 24 pontos, na quarta posição do Campeonato Brasileiro. O time gaúcho tinha a chance de ultrapassar o Fluminense, que tem 25 pontos e neste domingo enfrenta o líder Atlético-MG, no Engenhão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.