Filipe Araújo/AE
Filipe Araújo/AE

Procon investiga irregularidade na venda de ingressos do Corinthians no Mundial

Órgão recebou denúncias sobre venda casada, prática proibida pelo Código de Defesa do Consumidor

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

19 de setembro de 2012 | 19h10

SÃO PAULO - A procura da torcida do Corinthians por ingressos para o Mundial de Clubes da Fifa foi parar no Procon. Depois de ter recebido uma denúncia, o órgão encaminhou ontem ao clube uma notificação para ter explicações sobre a comercialização das entradas feita pela agência de viagens oficial do time.

A reclamação é de que só é possível ter os bilhetes se for comprado também os pacotes que incluem hospedagem e passagens aéreas, o que configura venda casada. A prática é proibida pelo artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor, pois condiciona um produto ao fornecimento de outro.

O Procon explicou que o Corinthians tem até sexta-feira para responder a notificação e caso a irregularidade seja comprovada, o clube pode ter de pagar uma multa que varia de R$ 400 a R$ 6 milhões.

Tanto a agência de viagens como o Corinthians negam que exista infração na venda de ingressos. "O departamento jurídico ainda não recebeu qualquer notificação e tem certeza de que não está havendo venda casada", disse o clube via assessoria de imprensa. "Existem opções de pacotes que não incluem ingressos. Em outros casos eles apenas são oferecidos por comodidade ao cliente", explicou a agência.

Os torcedores interessados em acompanhar o Mundial de Clubes e optarem pela agência, podem escolher entre 26 diferentes tipos de roteiros. O mais caro deles custa R$ 31 mil e inclui um passeio por Dubai, onde o time treina antes de desembarcar no Japão.

A saída do elenco de São Paulo está marcada para o dia 4 de dezembro e a estreia na competição será na semifinal, dia 12, em Toyota. A participação corintiana termina no dia 16, em Yokohama.

CONFUSÕES

O capítulo com o Procon foi apenas o mais recente da busca desesperada por ingressos para jogos do Corinthians no Mundial de Clubes. Desde a abertura das vendas a procura da torcida foi grande.

Logo no primeiro dia em que os ingressos puderam ser comprados pelo site da Fifa, a página ficou sobrecarregada pelo grande número de acessos. Quem garantiu os bilhetes teve sorte e paciência diante da lentidão para navegar, além de ter feito uma espécie de vigília até conseguir concluir a operação após várias tentativas.

No dia seguinte a venda foi interrompida bruscamente pela Fifa, que não deu explicações. Dois dias depois os ingressos voltaram a ficar à disposição dos torcedores.

Pelo site da Fifa é possível garantir entradas para a disputa do terceiro lugar e a final do Mundial de Clubes, marcadas para 16 de dezembro. O Corinthians tem presença garantida em um desses jogos e para entrar no estádio, o torcedor vai ter de desembolsar entre R$ 230 e R$ 775. Porém diante de tantos problemas para comprar pela página, a solução para os corintianos tem sido procurar a agência oficial, que espera vender cerca de 3 mil pacotes para o Japão. A empresa admite ter ingressos garantidos para atender até de 4 mil pacotes.

RODÍZIO

O técnico Tite afirmou ontem que pretende terminar com a escala de jogadores poupados nas sete rodadas finais do Brasileirão, já para dar ritmo às principais peças do elenco que vai ao Japão.

O rodízio de atletas vai começar para valer quando o time chegar aos 45 pontos e afastar a possibilidade de rebaixamento. "O ideal seria nós jogarmos com o grupo completo por mais do que nas cinco rodadas finais. Mas o fundamental agora é a zona de segurança, não tanto dar folga para os jogadores", explicou.

No planejamento de Tite, após o Corinthians alcançar a meta de pontuação a comissão técnica deve mapear quais jogadores estão mais desgastados e precisam de descanso.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansMundialFifa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.