Divulgação
Divulgação

Procurador de recurso da Aparecidense seria ligado ao clube

Segundo diretor-executivo do Tupi, pai do advogado da Aparecidense tem relação com Schmitt

RONALD LINCOLN JR. - ESPECIAL PARA O ESTADO,

20 de setembro de 2013 | 19h24

SÃO PAULO - O caso de Esquerdinha, massagista da Aparecidense (GO) que invadiu o campo e evitou o gol do Tupi (MG), pelo brasileirão da série D, ganhou um novo capítulo. O incidente foi julgado nesta segunda-feira pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), e por 3 votos a 1 o time goiano foi excluído do campeonato. No entanto, o procurador Paulo Schmitt que, segundo a equipe mineira, teria “laços de amizade” com o advogado da Aparecidense, protocolou um recurso contra a decisão, na última quinta feira.

De acordo com o diretor-executivo do Tupi, Alberto Simão, o pai do advogado da Aparecidense, João Vicente Moraes tem uma relação direta com o procurador Paulo Schmitt advinda do tribunal. Disse ainda, que os dois trabalham juntos para a Confederação Brasileira de Basquete (CBB). “Respeitamos o trabalho do doutor Paulo, mas, com os fortes laços de amizade dele com os envolvidos, seria mais prudente para a imagem do Tribunal o seu impedimento.”, disse Simão.

A equipe goiana foi excluída do campeonato através de uma decisão da Primeira Comissão Disciplinar do STJD,  com base no artigo 205 da CBDJ que diz:  "Impedir o prosseguimento de partida, prova ou equivalente que estiver disputando, por insuficiência numérica intencional de seus atletas ou por qualquer outra forma. (Redação dada pela Resolução CNE nº 29 de 2009). PENA: multa, de R$ 100 a R$ 100.000, e perda dos pontos em disputa a favor do adversário, na forma do regulamento.”

A invasão de campo de Esquerdinha, que evitou o gol  do Tupi, aconteceu no sábado (07 de setembro), durante a disputa das oitavas de final da série D, aos 44 min do segundo tempo, quando o jogo estava empatado em 2 a 2. Caso a bola tivesse entrado, o Tupi teria se classificado para a fase seguinte do campeonato. No entanto, ao evitar o gol, o massagista garantiu momentâneamente a classificação do clube goiano. O que gerou revolta por parte do mineiros.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolAparecidenseSérie D

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.