Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

Procurador do STJD pede vídeo para denunciar Valdivia

Paulo Schmitt promete analisar as imagens do pisão do jogador do Palmeiras em volante do Flamengo durante jogo do Brasileirão

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

18 Setembro 2014 | 17h53

A expulsão de Valdivia no jogo contra o Flamengo, nesta quarta-feira, pelo Brasileirão, pode custar caro ao Palmeiras. O procurador do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schmitt, disse nesta quinta que já pediu as imagens da partida para analisar o lance e a partir disso, enquadrar o ocorrido dentro das regras do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. O chileno pisou no volante Amaral e levou o cartão amarelo do árbitro Anderson Daronco.

"Vou analisar as imagens para tipificar o lance dentro das regras que temos. Já pedi o conteúdo da televisão para cuidar disso", disse o procurador. Se Schmitt denunciar o lance, a conduta de Valdivia pode ser classificada ou como agressão ou jogada violenta. No primeiro caso, a pena é de quatro a 12 jogos, conforme previsto no artigo 254 A. A outra possibilidade é de cair para o artigo 254, cuja punição prevista é de uma a seis partidas.

O árbitro relatou o lance na súmula, publicada nesta quinta pela CBF. "Expulsei, diretamente, aos 37 minutos do segundo tempo, o atleta Valdivia, do Palmeiras, por pisar na nádega do adversário, enquanto o mesmo estava deitado no solo", descreveu. A partida com o Flamengo marcava o retorno do chileno ao Palmeiras depois de um mês, período em que se recuperou de uma lesão na coxa.

O técnico Dorival Junior garantiu após o jogo, que terminou empatado em 2 a 2, que a comissão técnica ia se reunir com o atleta para cobrar mais cuidado com esse tipo de lance. Valdivia apenas correu pelo campo da Academia de Futebol nesta quinta e já cumpre suspensão automática na próxima rodada, quando o Palmeiras enfrenta o Goiás, no Serra Dourada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.