Reprodução
Reprodução

Procuradoria colhe relatos de lutadores do UFC para denunciar Felipe Melo por chave de braço

Órgão denuncia palmeirense por agressão contra jogador do Vasco com base em imagens e nos depoimentos de Fabricio Werdum e Glover Teixeira

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2020 | 18h06

 Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) liberou nesta quarta-feira uma denúncia contra o volante Felipe Melo do Palmeiras. O jogador deve ser julgado no início de dezembro por ter praticado agressão física em Léo Matos, do Vasco, em partida pelo Campeonato Brasileiro em 8 de novembro. Enquadrado no artigo 254-A, o palmeirense pode ser punido por quatro a 12 jogos de suspensão.

Com base em imagens da televisão, a Procuradoria avaliou que Felipe Melo aplicou uma chave de braço em Léo Matos aos 39 minutos do primeiro tempo. A disputa de bola não foi registrada na súmula. Para embasar a denúncia contra Felipe Melo, a Procuradoria juntou relatos de dois lutadores do UFC para avaliar a movimentação do palmeirense e atestar se de fato houve uma chave de braço.

"Se ele (Melo) dá mais alavanca pra frente, ele poderia ter quebrado o braço do outro jogador. O cara (Matos) deve estar com o cotovelo dolorido porque um pouquinho mais poderia arrebentar os ligamentos, ser uma lesão mais grave. Mas o reflexo foi muito bom", contou Fabricio Werdum. "Parece que ele (Felipe Melo) sabe o que está fazendo, sim. (...) É um golpe efetivo, disse Glover Teixeira.

A Procuradoria avalia que Felipe Melo demonstrou agressividade excessiva no lance. O julgamento só deverá ser realizado em dezembro porque pelas próximas semanas a pauta do tribunal já está lotada com outros assuntos. No mesmo jogo em que se envolveu no lance polêmico o volante alviverde fraturou o tornozelo esquerdo. A previsão é dele só voltar aos gramados no ano que vem.

Na mesma denúncia, a Procuradoria cita Felipe Melo como um jogador que costuma se envolver em confusões e menciona o apelido de Pitbull como uma das provas de que ele agiu de forma proposital na chave de braço. Para o julgamento, serão levadas mais outras imagens do lance para avaliação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.