Proibida a venda de bebidas alcoólicas em estádios

Ricardo Teixeira assina Adendo ao Protocolo de Intenções sobre combate à violência e segurança nos estádios

Bruno Lousada, O Estado de S. Paulo

25 de abril de 2008 | 19h20

Está proibida a venda de bebidas alcoólicas nos estádios de todo o País, a partir do Campeonato Brasileiro deste ano, e é obrigatória a existência de laudos técnicos dos estádios, completos e detalhados.Tais medidas fazem parte do primeiro Adendo ao Protocolo de Intenções sobre combate à violência e segurança nos estádios, assinado na tarde desta sexta-feira pelo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, e o presidente do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais do Ministério Público (CNPG), Marfan Vieira."Tenho a convicção absoluta de que tal prática vai gerar um grande resultado", declarou Ricardo Teixeira. "Pesquisa feita pelo Ministério Público já demonstrou que em estádio onde não existe bebida alcoólica, a queda da violência é apreciável."Segundo o termo assinado, qualquer pessoa flagrada consumindo bebida alcoólica no interior dos estádios durante competições organizadas pela CBF deve ser retirada do local. E se ela causar tumulto, será encaminhada para o Juizado Especial Criminal.Além disso, de acordo com a norma, somente terão validade os laudos em que estejam discriminadas as condições de segurança e higiene do estádio, não se aceitando declarações, autorizações e meras comunicações.Para Marfan Vieira, a proibição de venda de bebidas alcoólicas nos estádios é polêmica, mas não é nova. Isso já ocorre em São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Ceará. Se o clube mandante ignorar tal determinação, a punição vai extravasar os limites do tribunais esportivos, informou o presidente da CBF. "Nossa meta é que no futuro essa medida alcance as cercanias dos estádios", destacou Marfan Vieira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.