Serge Photographie / Site oficial / Nîmes
Serge Photographie / Site oficial / Nîmes

Proibido de ter espanhol Munir na Copa, Marrocos perde mais um atacante por lesão

Rachid Alioui passará por cirurgia e ficará vários meses afastado dos gramados

Estadão Conteúdo

17 Maio 2018 | 12h14

Depois de ter negada pela Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) a apelação para poder contar com o atacante espanhol Munir El Haddadi na Copa do Mundo de 2018, a seleção do Marrocos perdeu um novo jogador desta posição para a competição que começa no próximo dia 14 de junho, na Rússia.

+ 500 mil 'RGs do torcedor' foram solicitados para Copa da Rússia

+ Empresa vai devolver taxa paga por ingresso para a Copa na Rússia

Rachid Alioui, que defende o Nîmes, da França, vai ficar fora do Mundial depois de precisar ser submetido a uma cirurgia para reparação de um tendão rompido na semana passada em um confronto válido pela rodada final da segunda divisão do Campeonato Francês.

Por meio de um breve comunicado publicado em seu site oficial, o Nîmes informou que a operação foi realizada nesta quinta-feira e que o atacante precisará ficar afastado dos gramados por "vários meses".

O jogador de 25 anos realizou uma grande temporada pelo Nîmes e foi decisivo na campanha que levou o clube para a elite do futebol francês nesta temporada europeia. Ele marcou 17 gols na competição e se lesionou na partida final do time na segunda divisão francesa, na últimas sexta-feira, quando o seu time empatou por 2 a 2 com o campeão Reims, fora de casa, e fechou o torneio na vice-liderança.

Ou seja, esta foi a segunda decepção amargada pela seleção marroquina em um intervalo de apenas quatro dias. Na última segunda-feira, a CAS ratificou a decisão da Fifa, que já havia proibido Munir El Haddadi de poder defender o país africano na Copa de 2018 pelo fato de o mesmo já ter atuado pela Espanha em uma partida válida pelas Eliminatórias da Eurocopa de 2016.

Naquela ocasião, o atacante começou um jogo contra a Macedônia entre os reservas, mas entrou em campo aos 32 minutos do segundo tempo na partida que terminou com goleada por 5 a 1 da seleção espanhola. Pelas regras da Fifa, um atleta não pode atuar por dois países diferentes se tiver atuado em um jogo oficial anteriormente por uma outra seleção.

Munir tem os direitos vinculados ao Barcelona e disputou a última temporada europeia emprestado ao Alavés. E ele esperava poder atuar por Marrocos no Mundial, no qual o país vai estrear no dia 15 de junho, contra o Irã, pelo Grupo B, no qual também terá pela frente Portugal no dia 20 e justamente a Espanha no dia 25.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.