Divulgação
Divulgação

Projeto de Lei exige torcida mista nos estádios em Campinas

Proposta será para todos os jogos que serão realizados na região

Estadão Conteúdo

20 de maio de 2015 | 20h13

Os vereadores Luiz Carlos Rossini (PV) e Luiz Henrique Cirilo (PSDB) protocolaram projeto de lei que cria um espaço comum destinado a torcida mista nos estádios de futebol de Campinas. O objetivo da proposta é contribuir para evitar a violência nos jogos ao permitir que familiares e amigos tenham a possibilidade de assistir às partidas num mesmo trecho da arquibancada.

O projeto prevê que a quantidade de ingressos que será destinada a esse novo espaço será definida de acordo com a demanda de cada partida e dentro dos critérios já estabelecidos pelo Regulamento Geral das Competições da CBF - Confederação Brasileira de Futebol.

A proposta apresentada vai além dos limites dos tradicionais times de Campinas. Tanto no famoso dérbi entre Guarani e Ponte Preta quanto nos jogos contra o Red Bull Brasil deverá haver espaço destinado à torcida mista. O projeto permite a reserva de lugares para o mesmo fim em jogos dos times de Campinas contra equipes de fora, como Corinthians, São Paulo, Palmeiras, Santos e até agremiações de outros estados.

FORMA DO PROJETO

Ainda segundo o projeto, a divulgação da disponibilidade desse espaço único deverá estar exposta em todos os locais de venda, em lugar visível. E o descumprimento da norma prevê multa de 2.000 Ufics (Unidades Fiscais do Município de Campinas), cerca de R$ 5.500,00. A penalidade será dobrada na reincidência, quadruplicada em nova infração e acarretará em multa e até suspensão do alvará por dois anos em casos repetidos.

Para que o projeto vire lei, terá que passar pela assessoria jurídica, que analisa a legalidade e constitucionalidade do projeto. Depois será submetido pelas comissões. Na sequência, será apreciado por todos os vereadores.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.