Mailson Santana / Fluminense
Mailson Santana / Fluminense

Promessa da base, volante Martinelli celebra estreia com destaque pelo Fluminense

Volante esteve em campo no empate em 0 a 0 do tricolor carioca com o Bragantino

Redação, Estadão Conteúdo

02 de dezembro de 2020 | 17h48

O Fluminense ficou no empate sem gols contra o Red Bull Bragantino pela 23.ª rodada do Campeonato Brasileiro, na noite de segunda-feira, no Maracanã, mas o volante Martinelli teve o que comemorar. Promessa da base tricolor, o jogador fez sua estreia pelo time profissional, após passar pelas equipes sub-17, sub-20 e sub-23. A vitória não veio, mas o atleta de 19 anos se destacou individualmente e teve motivos para sair satisfeito.

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, Martinelli admitiu o nervosismo quando ouviu do técnico Odair Hellmann que iria jogar, mas mostrou confiança e aprovou sua estreia. "Quando recebi a notícia fiquei muito feliz, mas sempre dá aquele frio na barriga", disse o jovem.

"Os jogadores e todos da comissão me passaram confiança. O Odair chamou, disse para ir tranquilo e me deixou confortável para jogar", destacou o volante, que, nesta quarta-feira, teve contrato renovado até 2024, segundo a empresa que gerencia sua carreira.

"Estou aqui para ajudar e sei que a oportunidade vai chegar mais vezes. Sou um cara muito tranquilo e estou com a cabeça tranquila. Vou continuar trabalhando, a oportunidade vai chegar de novo e eu tenho que estar preparado para responder", seguiu o atleta.

Martinelli treina com os profissionais desde junho, mas também vinha atuando no time de aspirantes. O meia valorizou a importância do sub-23 e disse que a semelhança dos esquemas de jogo entre as equipes profissional e de base ajudou na adaptação.

"É um projeto muito importante (o time de aspirantes). Ele acaba dando rodagem, volume de jogo e isso é muito bom. A maneira com que as equipes jogam é parecida, sempre com a bola, o que facilita bastante a transição do sub-23 para o profissional", ponderou."Acho muito importante essa transição. Da base ao profissional. É um degrau alto, então é bom ter etapas. O jogador vai criando confiança, vai ficando mais tranquilo para estrear no profissional."

Martinelli também destacou a necessidade de aprender com os mais experientes. "A gente tem que ter a cabeça tranquila, sabemos que somos jovens e temos que aprender muito ainda com os mais experientes", relatou. "Eles sempre passam muitas dicas pra gente. Temos que ter a cabeça no lugar, saber que vai chegar nossa hora e estarmos prontos. Quando for necessário, tem que aproveitar a oportunidade."

O volante ressaltou ainda a facilidade de jogar com ex-companheiros da base. "Facilita bastante, a gente sempre brinca um com o outro, temos muita intimidade. Quando ficaram sabendo que eu iria estrear, eles vieram e me confortaram, passaram tranquilidade", disse. "Quando entramos em campo, o Marcos Paulo (atacante) falou para fazer o mesmo da base. O André (volante) é um cara com quem eu faço dupla há muito tempo. A gente já conhece o movimento do outro. Espero jogar ainda muitas vezes com eles."

Oitavo colocado no Campeonato Brasileiro com 36 pontos, o Fluminense volta a campo no sábado, quando receberá o Athletico-PR, às 19h, no Maracanã. Recuperado do coronavírus, o volante Hudson estará à disposição, mas Martinelli é opção.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminense

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.