Anuwar Hazarika / Reuters
Anuwar Hazarika / Reuters

Promessa do Liverpool brilha e Inglaterra vence Brasil na semi do Mundial Sub-17

Seleção inglesa vai enfrentar Espanha ou Mali na final do torneio

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

25 Outubro 2017 | 11h52

O atacante Rhian Brewster tirou a seleção brasileira sub-17 da luta pelo seu quarto título mundial. Nesta quarta-feira, em Calcutá, na Índia, ele marcou todos os gols da Inglaterra no triunfo por 3 a 1 sobre o Brasil, garantindo a passagem da sua equipe para a decisão do torneio.

+ Joia sub-17 do Palmeiras está acertado com Real Madrid, diz jornal

No próximo sábado, a seleção inglesa vai disputar a decisão do Mundial Sub-17 às 12h30 (horário de Brasília) contra o time que avançar na outro confronto das semifinais, entre Espanha e Mali. E a equipe que for derrotada será a adversária do Brasil no jogo que valerá o terceiro lugar no sábado, às 9h30, na preliminar da decisão em Calcutá.

Até está quarta-feira, o Brasil tinha campanha perfeita no Mundial Sub-17, com cinco vitórias e apenas dois gols sofridos, tentando repetir os títulos conquistados em 1997, 1999 e 2003. Mas acabou parando na seleção inglesa e em Brewster, jogador das divisões de base do Liverpool e que se tornou o artilheiro da competição com sete gols marcados.

Assim como nos dois confrontos anteriores com seleções europeias - Espanha, na estreia, e Alemanha, nas quartas de final -, o Brasil havia levado o primeiro gol da partida, mas depois obteve a virada, algo que agora não conseguiu concretizar nas semifinais.

A Inglaterra jamais havia estado entre os quatro primeiros colocados da competição de juvenis e acumulava quatro vitórias no tempo normal e uma nos pênaltis, nas oitavas de final, após empatar sem gols com o Japão, no Mundial Sub-17 realizado Índia. Agora, então, obteve o seu quinto triunfo.

A classificação à final confirma o bom momento das seleções de base da Inglaterra. Neste ano, a equipe sub-17, inclusive, foi vice-campeã do Europeu da categoria. Agora, então, tentará "unificar" os títulos das categorias de base, pois em junho levou o título do Mundial Sub-20.

O JOGO

Brasil e Inglaterra fizeram um confronto aberto desde os minutos iniciais em Calcutá, com a equipe europeia sendo mais perigosa no começo, logo abrindo o placar. Aos nove minutos, em jogada em que o sistema defensivo da seleção falhou, Brewster, livre, finalizou. O goleiro Brazão também bobeou ao espalmar para a frente, deixando o rebote para o atacante empurrar a bola às redes.

Liderada por Paulinho, o Brasil reagiu, aproveitando os espaços deixados pelos defensores ingleses e impondo pressão. E a equipe arrancou o empate aos 20 minutos. A revelação do Vasco tabelou com Wesley e finalizou de fora da área. O goleiro adversário espalmou e o próprio Wesley chegou antes para finalizar ao gol.

O Brasil desperdiçou uma grande chance em um chute colocado de Brenner e acabou sendo "punido" pouco depois, novamente por Brewster. Aos 38 minutos, Sessegnon fez cruzamento rasteiro, a defesa brasileira não conseguiu fazer o corte e o atacante finalizou às redes, levando a seleção inglesa a ir ao intervalo em vantagem de 2 a 1 no placar.

No segundo tempo, o Brasil tentou envolver a seleção inglesa e, mesmo com Lincoln bastante apagado, criou chances de gol. Brenner, Paulinho e Yuri, que iniciou o duelo no banco de reservas, tiveram oportunidades e deram trabalho ao goleiro Anderson, que fez boas defesas.

E a Inglaterra definiu a sua classificação e a passagem para a decisão aos 31 minutos, com mais um gol de Brewster e nova falha da defesa brasileira. Na jogada, Rowe cruzou para Brewster, que, livre, não teve dificuldades para fazer o seu terceiro gol na partida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.