Andreas Solaro / AFP
Andreas Solaro / AFP

Promotor de Údine começa a investigar morte de Davide Astori

Corpo do zagueiro será velado no centro de treinamentos da seleção italiana

Estadão Conteúdo

05 Março 2018 | 12h30

As autoridades italianas informaram nesta segunda-feira que já começaram a investigar a morte do zagueiro Davide Astori, da Fiorentina. O jogador de 31 anos, com passagens pela seleção italiana, foi encontrado morto em um quarto de hotel em Údine, onde a equipe estava concentrada para enfrentar a Udinese, pelo Campeonato Italiano.

+ Vitor Hugo, ex-Palmeiras, presta homenagem a capitão da Fiorentina

+ Clubes homenageiam Astori; Buffon enaltece: 'Um dos melhores que conheci'

A investigação criminal foi aberta pelo promotor Antonio De Nicolo, da cidade de Údine. Em declarações à imprensa, ele afirmou que o procedimento é de praxe e que, no momento, não há qualquer motivo para suspeitar de crime.

A autópsia, que pode revelar informações para a investigação, será realizada nesta terça-feira. O corpo será levado para Florença, onde morava o jogador, no dia seguinte.

Haverá velório no centro de treinamento nacional da seleção italiana, nos arredores da cidade, onde amigos e fãs poderão comparecer. O funeral está marcado para a quinta-feira na Basílica di Santa Croce, também em Florença.

Revelado pelo Milan, Davide Astori despontou no Cagliari e chegou a ser convocado para a Copa das Confederações de 2013, realizada no Brasil. Passou, depois, por Roma e foi contratado em definitivo pela Fiorentina, clube onde se tornou ídolo e capitão. Em virtude da tragédia, toda a rodada do domingo do Italiano foi adiada.

Mais conteúdo sobre:
futebol Fiorentina Davide Astori

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.