Promotor pede punições duras na Itália

O cerco se fecha, na Itália, em torno de clubes, jogadores e dirigentes envolvidos no mais recente escândalo de manipulação de resultados. O promotor Emidio Fascione, encarregado das investigações que apuram fraudes na loteria esportiva local, pediu punições severas para os acusados. No total, são 33 pessoas e 12 clubes que fariam parte de uma rede nacional a serviço de grandes apostadores.Fascione encontrou-se nesta sexta-feira com representantes do Tribunal Esportivo da Federação Italiana de Futebol e sugeriu que o Chievo Verona, um dos clubes apontados como fraudadores da loteria, começasse a temporada de 2004-05 da Série A com 9 pontos negativos. Siena e Sampdoria, também do grupo de elite, pode largar com menos 6, se a proposta do promotor for levada adiante. A pena para o Módena seria mais drástica - rebaixamento.Sobraria também para jogadores. Antonio Marasco, apontado como um dos mentores do plano de arranjos de resultados em jogos das Séries A, B e C, pode ficar cinco anos fora de atividade. Já Stefano Bettarini, destaque da Sampdoria, veria jogos só das arquibancadas, nos próximos três anos, se for condenado na justiça esportiva. O técnico Luigi del Neri, ex-Chievo e ex-Porto, levaria suspensão de seis meses, pelo crime de omissão.O juiz Stefano Azzali promete anunciar sentenças no começo da semana. Ao mesmo tempo, correm processos na Justiça Comum da Itália.Título - O Milan (campeão italiano) e a Lazio (campeã da Copa Itália) decidem neste sábado, em Milão, a Supercopa Itália, primeiro troféu de 2004-05.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.