Proposta a Vampeta racha Corinthians

Vampeta não aparece, mas continua sendo motivo de confusão no Parque São Jorge. A proposta de renovação de contrato, encaminhada na segunda-feira ao advogado do atleta, Marcos Motta, provocou enormes divergências e constrangimentos entre integrantes da diretoria do Corinthians. De um lado, parte dos cartolas, da qual faz parte o vice-presidente de Futebol, Antonio Roque Citadini, defende a permanência do jogador. De outro, diretores e conselheiros acham um absurdo dar tal tratamento ao protagonista de várias confusões durante a última semana.Como se não bastasse toda a ?saia-justa? provocada por Vampeta quando revelou publicamente seu descontentamento com o atraso no pagamento dos direitos de imagem e sua insatisfação com a exagerada renovação da equipe corintiana, sua atitude ainda motivou mudanças radicais na relação clube x atletas. Após o Estado ter mostrado que o Corinthians pagava integralmente os salários de Vampeta sem ter essa obrigação, o clube decidiu alterar sua política de relacionamento com os jogadores. Definiu que vai encaminhar os afastados do trabalho por mais de 15 dias por motivos de saúde ou lesão para os cuidados do INSS. Agora busca no mercado empresa de seguros que complemente o rendimento do empregado.OFERTA - Mesmo diante de tamanho imbróglio, a diretoria propôs a Vampeta a renovação de contrato por um ou dois anos. A peculiaridade seria o fato de o direito de imagem, razão da polêmica, ser extinto. Todo o valor oferecido, algo próximo dos R$ 100 mil/mês que o volante recebe atualmente, seria registrado em carteira e regido pelas normas da CLT. Vale lembrar que, atualmente, apenas metade desse montante é registrada.Com relação à dívida com Vampeta ? ?são só dois meses de direito de imagem?, faz questão de ressaltar Citadini ? o montante seria diluído ao longo dos salários. Se somado o atraso no pagamento de premiações e bichos, o valor pode beirar os R$ 500 mil, garantem pessoas próximas ao baiano.A idéia desagradou altos dirigentes alvinegros. Um deles, que participou da negociação, foi taxativo em confidências a pessoas próximas. ?Isso é um absurdo. Um desgaste absoluto e desnecessário essas reuniões que duram a tarde inteira?, afirmou. ?Onde já se viu ficar negociando valores altos com um jogador que não produziu nada para o time nos últimos meses e, ainda por cima, criou tanta confusão?? perguntou. Vampeta não joga desde o dia 30 de março, quando fraturou o joelho esquerdo na partida contra o Atlético-MG.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.