Proposta da Copa é "virar" Libertadores

A Copa Sul-americana, com 35 clubes do continente, é um bom negócio para os clubes brasileiros e para a Conmebol, a confederação que representa o futebol na América do Sul. Criado no ano passado, o torneio foi simplesmente ignorado pela CBF, que não indicou nenhuma equipe para representar o País. O San Lorenzo, da Argentina, ficou com o título.Este ano a realidade do futebol brasileiro fez com que o interesse pela competição fosse diferente. Ao final do campeonato nacional do ano passado, conquistado pelo Santos, os clubes se mobilizaram para garantir uma vaga no torneio. O interesse não estava ligado à conquista de um título internacional e sim à premiação distribuída pela Conmebol: US$ 4,5 milhõesA Conmebol também comemorou a entrada dos times brasileiros no torneio. A entidade considera a participação de clubes do país pentacampeão mundial fundamental para o futuro do campeonato.A intenção é transformar a Copa Sul-americana em uma competição tão importante quanto a Copa Libertadores da América. A diferença está nos valores da premiação. Enquanto o "novo" torneio distribui apenas US$ 4,5 milhões, a Libertadores rende US$ 20 milhões."Todos querem jogar Copas porque sabem que este tipo de confronto tem um reconhecimento internacional, inclusive serve como vitrine para seus jogadores", defende o secretário-geral da Confederação Sul-americana de Futebol, Eduardo Deluca. O dirigente revelou que existe o projeto de o campeão da Copa Sul-americana disputar um título com o campeão da Copa da Uefa.A Conmebol gostou tanto da participação brasileira que pouco se importou com o número de clubes indicados pelo CBF. No começo, eram apenas seis. Depois aumentou-se para oito. Agora, serão 12 participantes brasileiros. Diferente do que acontece com as outras eliminatórias, a Conmebol montou uma eliminatória especial para os times brasileiros decidirem os dois representantes na fase internacional do torneio, que começa a valer a partir das quartas-de-final.

Agencia Estado,

30 de julho de 2003 | 09h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.