José Patrício/AE
José Patrício/AE

Proposta irrecusável pesou na decisão de Roberto Carlos, diz Sanchez

Dirigente diz que pressão e protestos também pesaram para a saída do lateral

Vítor Marques, do Jornal da Tarde,

12 de fevereiro de 2011 | 10h37

SÃO PAULO - Em entrevista coletiva na manhã deste sábado, 12, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, oficializou a saída do lateral-esquerdo Roberto Carlos. Visivelmente decepcionado com o desligamento do atleta, o dirigente revelou que uma proposta do exterior também pesou na decisão.

 

"Não foram só os protestos que motivaram a saída do Roberto Carlos. Foram também a pressão e uma proposta irrecusável", afirmou Andres Sanches.

Segundo o dirigente, o lateral-esquerdo teria sido sondado pela Roma. O futebol norte-americano e russo também são cotados como destino para o jogador.

O jornal russo "Sport-Express" publicou neste sábado que o clube Anzhi teria oferecido 5 milhões de euros (R$ 11,2 milhões) por ano ao jogador. O time, que acabou de subir para a primeira divisão da Rússia, estaria interessado em acertar contrato de dois anos.

 

O dirigente corintiano, que novamente condenou os protestos dos torcedores motivados pela perda da classificação para a Libertadores, disse que o desligamento foi alcançado em comum acordo. "Não vamos pagar nem receber pela rescisão", afirmou Sanchez.

 

Neste sábado, os jogadores do Corinthians treinam normalmente no Centro de Treinamento 'Dr. Joaquim Grava' como preparação para o jogo contra o Paulista, neste domingo, em Jundiaí.

 

Veja também:

blog Robson Morelli - Roberto Carlos está certo em pular fora

linkCorintianos comemoram quatro anos sem derrotas para o São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.