Divulgação
Divulgação

Propostas por Messi, Suárez e Neymar podem chegar a R$ 2,6 bilhões

Real Madrid e Manchester United desejam contar com o brasileiro

Estadão Conteúdo

03 de dezembro de 2015 | 07h16

Em ótima fase, o trio MSN (Messi, Suárez e Neymar) do Barcelona virou alvo de cobiça dos principais clubes do mundo. Segundo a imprensa espanhola, no próximo mês o time da Catalunha deve receber propostas pelos três jogadores que somarão R$ 2,6 bilhões. Nesta quarta-feira, o jornal esportivo Sport, de Barcelona, publicou que Manchester City e Paris Saint-Germain pretendem contratar Messi, enquanto que Real Madrid e Manchester United desejam contar com Neymar a partir do próximo ano.

Após vender 13% de suas ações para o grupo chinês CMC por 376 milhões de euros (R$ 1,5 bilhão), o Manchester City quer montar um supertime em 2016. O principal astro da equipe seria Messi, cuja multa rescisória a está estipulada em 250 milhões de euros (R$ 1 bilhão).

De acordo com o jornal inglês Daily Mirror, o Manchester City estaria disposto a pagar ao argentino salário de 1 milhão de euros (R$ 4 milhões) líquido por semana. Durante o contrato de cinco anos, o clube desembolsaria, somando os impostos, 500 milhões de euros (R$ 2 bilhões) só de salários com Messi.

Para comandar esse supertime, os ingleses preparam uma oferta para tirar o técnico Pep Guardiola do Bayern de Munique. O clube se transformaria em uma especial de "filial do Barcelona". Hoje, o CEO do Manchester City é Ferran Soriano, que foi vice-presidente do clube catalão entre 2003 e 2008. O diretor de futebol é Txiki Begiristain, ex-funcionário do Barcelona também.

O sonho dos dirigentes do Manchester City é que Messi e Guardiola possam reeditar na Inglaterra a parceria de sucesso que tiveram na Espanha. Entre 2008 e 2012, os dois conquistaram 14 títulos de 19 possíveis.

Com relação a Neymar, a ameaça para tirar o atacante do Camp Nou vem do arquirrival Real Madrid. Ciente de que o brasileiro é o sucessor natural de Messi no Barcelona, o plano do clube da capital é enfraquecer a equipe que tem dominado o futebol na Espanha nos últimos anos. A multa de Neymar é de 190 milhões de euros (o equivalente a R$ 775 milhões).

Para não perder o craque, a diretoria do Barcelona trata como prioridade a renovação do contrato do brasileiro. O vínculo termina em junho de 2018 e os dirigentes catalães querem ampliá-lo por mais três temporadas, até 2021.

A diretoria do Barcelona tem pressa para fechar a renovação mas o estafe de Neymar só estaria disposto a concluir as negociações em abril ou maio. O entendimento é que, se o atacante conseguir manter o nível que vem mostrando, ao final da temporada ele estará ainda mais valorizado.

Neymar, naturalmente, receberia aumento salarial. O atacante, que hoje ganha 10 milhões de euros por ano (R$ 40 milhões), passaria a receber 15 milhões de euros (R$ 61 milhões). A oferta do Real Madrid seria ainda mais tentadora: 20 milhões de euros (R$ 80 milhões). O montante seria o mesmo que Cristiano Ronaldo recebe.

Para o Barcelona, a situação mais cômoda é em relação a Luis Suárez. O assédio ao uruguaio é menor em comparação a Messi e Neymar. O valor da multa rescisória do seu contrato, no entanto, está em um patamar semelhante à dos companheiros de ataque: 200 milhões de euros (R$ 814 milhões).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.