Proprietário do Liverpool nega venda de ações a grupo árabe

Tom Hicks diz que a informação é falsa e que 'continuará honrando este compromisso agora e no futuro'

EFE

26 de fevereiro de 2008 | 14h45

O empresário americano Tom Hicks, co-proprietário do Liverpool, desmentiu nesta terça-feira as notícias veiculadas na imprensa britânica afirmando que ele venderá 50% de sua participação no clube ao grupo empresarial Dubai International Capital. Veja também: Donos do Liverpool estão perto de vender o clube, diz jornalHicks, que comanda o clube inglês ao lado do também americano George Gillett, desmentiu a notícia, publicada pelo britânico The Times e que explica que a transação estaria por detalhes. Segundo a publicação, o Liverpool permitiu que o grupo empresarial fizesse uma análise das finanças do clube, o que levaria a um acerto no mês que vem. As duas partes se encontraram semana passada em Dubai e Londres."As publicações no Reino Unido que alegam que estou a ponto de vender minha participação no Liverpool ou que convidei o grupo a examinar as contas são absolutamente falsas, assim como os outros artigos que apareceram na imprensa britânica nas últimas semanas", afirmou Hicks em nota. "A realidade é que estou pessoalmente, profissionalmente e financeiramente comprometido com este clube e seus torcedores. Continuarei honrando este compromisso agora e no futuro", completou o comunicado. 

Tudo o que sabemos sobre:
Campeonato InglêsLiverpool

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.